Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Sidrolandia

Indústria de MS gerou 943 postos de trabalho em 2016, aponta radar

Já em 36 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, resultado no fechamento de 3.706 vagas.

Campo Grande News

31 de Janeiro de 2017 - 16:51

Com geração de 943 novos postos de trabalho, o setor industrial de Mato Grosso do Sul encerrou 2016 com saldo, segundo levantamento do Radar Industrial da Fiems divulgado nesta terça-feira (31).

Mesmo com o fechamento de 1.974 postos de trabalho em dezembro, a geração de emprego na indústria sul-mato-grossense foi positiva na maior parte do ano, segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende.

"Esse resultado reverte o quadro de demissões observado em 2015, quando foram fechadas 9.243 vagas na indústria estadual, avalia.

De acordo com o levantamento, durante 2016 os melhores resultados foram identificados pelos segmentos da indústria da construção (+2.111), serviços industriais (+453), alimentos e bebidas (+122), indústria da borracha, couro e diversas (+104) e indústria do material elétrico (+103).

“Levando em conta todos os setores da economia estadual foram fechadas 7.797 vagas apenas no mês de dezembro, enquanto no acumulado do ano o resultado aponta para o encerramento de 1.123 postos de trabalho. Apesar de negativo, o desempenho observado apresenta melhora na comparação com 2015, quando foram fechadas quase 12 mil vagas no mercado de trabalho de Mato Grosso do Sul”, destaca.

O conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul registrou em dezembro do último ano, 126.178 trabalhadores empregados, o que indica queda de 1,5% em relação a novembro.

“Mesmo com a redução, a indústria terminou o ano com o 3º maior contingente de trabalhadores formais do Estado. Atualmente, a atividade industrial responde por 19,6% de todo o emprego formal existente em Mato Grosso do Sul, ficando atrás dos setores de serviços, que emprega 191.859 trabalhadores e tem participação equivalente a 29,8%, e da administração pública, com 129.958 trabalhadores ou 20,2% do total de empregos gerados”, explica Resende.

Desempenho - Entre as atividades industriais do Estado, 85 apresentaram saldo positivo de contratação no final de 2016, proporcionando a abertura de 5.628 vagas, com destaque para a montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas (+1.850), construção de rodovias e ferrovias (+456), obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações (+448).

Outras 127 atividades industriais apresentaram saldo negativo, o que resultou no fechamento de 4.685 vagas. os setores com desempenho negativo na geração de empregos foram o da fabricação de álcool (-455), obras de engenharia civil não especificadas anteriormente (-352), fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado (-329) e construção de edifícios (-249).

Entre os municípios, 43 tiveram saldo positivo na indústria em 2016m gerando 4.649 vagas. As cidades com saldo positivo são Três Lagoas (+2.464), Aparecida do Taboado (+541), Água Clara (+389), Nova Alvorada do Sul (+265), Mundo Novo (+123) e Nova Andradina (+123).

Já em 36 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, resultado no fechamento de 3.706 vagas. Entre as cidades com estes índices estão Campo Grande (-1.023), Dourados (-647), Bataguassu (-367), Paranaíba (-222), Eldorado (-209), Costa Rica (-155), Terenos (-145), Itaquiraí (-135), Corumbá (-125) e Naviraí (-121).