Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 10 de Agosto de 2022

Sidrolandia

Instrutor do Senai da Capital é finalista em concurso internacional de moda

No Concurso de Moda Inclusiva, entre estilistas de todo país, Eduardo Inácio e mais 19 profissionais foram classificados para a final e os três melhores colocados serão premiados.

Daniel Pedra

24 de Setembro de 2015 - 14:45

O instrutor de educação profissional na área do vestuário do Senai de Campo Grande, Eduardo Inácio Alves, 24 anos, vai representar Mato Grosso do Sul no 7º Concurso Moda Inclusiva Edição Internacional, que será realizado no dia 9 de novembro, em São Paulo (SP), durante a Feira+Fórum Reabilitação. Ele está na lista dos 20 selecionados na edição 2015 e vai apresentar peças com um olhar diferente, aliando design e funcionalidade para pessoas com deficiência.

Para o evento, Eduardo Inácio criou dois looks para cadeirante e um para deficiente visual com o tema “Xilogravura”, inspirado na cultura nordestina. Dos desenhos, apenas um look será apresentado e a produção das peças deve demorar pelo menos um mês, já que a modelagem é diferenciada e cheia de detalhes, conforme explicou o estilista.

“A peça selecionada foi um macacão adaptado para cadeirante com uma abertura lateral que vai facilitar na hora de vestir e que será acompanhado de um blazer, também cheio de detalhes, tudo para deixar a roupa bonita, mas também fácil de usar”, declarou Eduardo Inácio.

Apaixonado pela área desde os 18 anos, o instrutor fez faculdade de moda em Campo Grande, passou por curso na área do vestuário oferecido na modalidade de aprendizagem industrial pelo Senai de Campo Grande e também pelo curso técnico em beneficiamento têxtil disponibilizado pelo Senai Cetiqt no Rio de Janeiro. Ele já participou de outros concursos e representou o Estado no Brasil Fashion Design, realizado no ano de 2012 em Goiânia (GO), e no Festival do Lixo e Cidadania, promovido no ano de 2014 em Brasília (DF).

No Concurso de Moda Inclusiva, entre estilistas de todo país, Eduardo Inácio e mais 19 profissionais foram classificados para a final e os três melhores colocados serão premiados. O concurso tem como objetivo provocar um novo olhar nos jovens estilistas e soluções que facilitem o cotidiano da pessoa com deficiência, promovendo uma moda diferenciada e acessível, além de proporcionar mais funcionalidade ao vestuário e autonomia ao usuário.