Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 18 de Agosto de 2022

Sidrolandia

Inverno termina com temperaturas altas e umidade do ar em alerta em MS

Chuva de granizo causou prejuízo em algumas cidades. Primavera terá temperaturas mais altas que inverno, prevê Inmet.

G1 MS

23 de Setembro de 2015 - 07:00

Apesar de a estação ter sido o inverno entre os meses de junho e setembro, os termômetros em Mato Grosso do Sul registraram temperaturas muito elevadas, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A estação se despede nesta quarta-feira (23) em estado de alerta por causa dos baixos índices de umidade relativa do ar, podendo atingir 12%.

A previsão para a 'estação das flores' que começa nesta quarta-feira é de temperaturas ainda mais altas.

A meteorologista Neide Oliveira, do Inmet, afirmou que os dias mais quentes da estação foram em setembro, no sábado (19) e domingo (20), quando na região do Pantanal chegou a fazer 40,4°C. Em alguns lugares, a sensação térmica foi de 47ºC.

No mês de junho a maior temperatura foi 35,5°C, na região do Pantanal. Em julho, nas regiões norte, sudoeste, oeste, Pantanal e leste do estado, o recorde de temperatura foi de 36°C. Já no dia 31 de agosto os termômetros sul-mato-grossenses registraram 40,3°C no Pantanal.

Em Mato Grosso do Sul, os últimos dias de inverno tiveram temperaturas altas. A sensação térmica chegou a 47ºC e o clima de deserto atingiu pelo menos 12 municípios sul-mato-grossenses. O calor foi tanto no fim de semana que até animais silvestres como o tamanduá tiveram que se refrescar em qualquer poça.

Neide ainda disse que, como em dias de calor não houve registros de ventos no estado, a sensação térmica é muito maior, e em média chega a 3°C acima. “A sensação pode ser de três graus a mais. Como não está ventando a sensação é de uma temperatura maior. Se tem chuva essa sensação pode melhorar e cair um pouco. Mas em Mato Grosso do Sul está sem vento, então o calor é maior”, completou ressaltou a meteorologista.

Temperaturas baixas também foram registradas, conforme o Inmet. O dia mais frio da estação foi em 13 de setembro, quando a mínima atingiu 6,8°C em Maracaju.

Houve uma variação na umidade relativa do ar também durante a estação. Segundo Neide, entre os dias 7 e 11 de setembro a umidade do ar foram altas e chegaram a 95%, mas, nos últimos cinco dias o tempo ficou seco e a oscilação de umidade relativa do ar ficou entre 22% e 12%, considerado estado de alerta.

Primavera

A primavera chega no estado com previsões de temperaturas muito altas, que devem superar inclusive os termômetros do inverno, de acordo com o Inmet.

Neide relatou que na quinta-feira (24), por exemplo, a previsão é que faça 38°C em Campo Grande. Ainda segundo ela, haverá chuva nos dias 25 e 26 deste mês. “Só tem previsão de chuva para o dia 25, nas regiões oeste e sul do estado. No dia 26 tem previsão de chuva rápida e perigosa, com granizo, ao centro-oeste, nordeste e sul. A temperatura cai nessas regiões e vai para 30°C no dia 26”, disse.

“As temperaturas estão muito altas e muitos podem passar mal, por isso é bom evitar sair de casa do fim da manhã até o fim da tarde, das 11h às 18h”, concluiu a meteorologista.

Granizo e prejuízos

Uma chuva de granizo atingiu Iguatemi e outros cinco municípios sul-mato-grossenses no dia 7 de setembro. A queda de gelo durou cerca de 15 minutos, tempo suficiente para destelhar casas e danificar carros. Além da cidade, Bataguassu, Brasilândia, Sete Quedas e Três Lagoas também registraram chuva com granizo.

A Defesa Civil de Iguatemi estima prejuízo de quase R$ 7 milhões em danos provocados pela chuva de granizo. Cerca de 2.500 casas foram danificadas, além de indústrias, prédios públicos e propriedades rurais.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Ramão Lino, do total de residências danificadas, 500 famílias ficaram sem moradia devido ao destelhamento provocado pela queda de gelo. A maioria delas, segundo ele, está localizada na região periférica da cidade, onde ocorreram os maiores estragos.