Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Judiciário confirma paralisação, 500 funcionários vêm do interior para protestar

Cerca de 500 funcionários do Judiciário virão de todo o Estado para engrossar a manifestação. A partir das 10h eles devem se concentrar em frente ao Fórum.

Campo Grande News

02 de Julho de 2013 - 14:45

Amanhã o Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul passará o dia todo paralisado, conforme garantiu o presidente do Sindijus (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul), Clodoir Vargas.

A medida é uma forma que os trabalhadores acharam para protestar contra o falta de compromisso por parte do presidente do TJ/MS (Tribunal de Justiça do Estado), Joenildo Chaves, que não está cumprindo promessas feitas no final do ano passado, quando tomou posse do cargo.

Cerca de 500 funcionários do Judiciário virão de todo o Estado para engrossar a manifestação. A partir das 10h eles devem se concentrar em frente ao Fórum. Às 13h30 o ponto de protesto será em frente ao próprio Tribunal. “A gente espera que o presidente vá lá conversar com todo mundo e volte atrás no que não cumpriu”, antecipou.

Entre as principais reivindicações está o pagamento do ATS (Adicional por Tempo de Serviço) que, segundo Clodoir, está parado há mais de 14 anos. “Estamos esperando para receber desde 1999”, disse. Joenildo prometeu quitar o débito com os funcionários, mas voltou atrás alegando não ter amparo legal para pagar o adicional.

Caso não haja acordo entre as partes, o presidente do Sindijus acredita que em breve haverá greve geral por tempo indeterminado. “Acho bem provável. A categoria continua mobilizada para uma greve futura”, ressaltou. Amanhã 30% do quadro de funcionários trabalhará normalmente para garantir o cumprimento de serviços considerados essenciais.