Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Juiz se declara impedido e adia decisão sobre reintegração de posse em Miranda

Ontem, o juiz federal substituto Jânio Roberto dos Santos se declarou suspeito para atuar no caso, por motivo de foro íntimo, e solicitou a designação de outro magistrado.

Campo Grande News

17 de Outubro de 2013 - 09:00

Tramitando desde terça-feira na Justiça Federal de Campo Grande, o pedido de reintegração de posse da chácara Nova Esperança, em Miranda, segue sem decisão.

Ontem, o juiz federal substituto Jânio Roberto dos Santos se declarou suspeito para atuar no caso, por motivo de foro íntimo, e solicitou a designação de outro magistrado.

A área, que pertence a Ernesto Milani, foi ocupada em 9 de outubro por índios terenas. De acordo com o advogado Oscar Luiz Oliveira, em geral, a Justiça pede para ouvir a União, o Ministério Público e a Funai (Fundação Nacional do Índio) antes de decidir sobre a liminar. A chácara fica a 3 quilômetros da cidade de Miranda.

Os terenas denunciam que sofreram três ataques desde o começo da ocupação e a PF (Polícia Federal) deslocou equipe para o local. Os índios exigem que as demarcações de terra, que já tiveram início, sejam concluídas. Caso contrário, novas invasões devem acontecer.

Segundo os índios, a área de 7,2 mil hectares, que eles prometem invadir, abrange pelo menos cinco propriedades rurais e fica em frente às terras já ocupadas.