Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 18 de Julho de 2024

Sidrolandia

Juro do cheque especial sobe pelo terceiro mês seguido

No cheque especial, a taxa média cobrada pelos bancos passou de 8,90% ao mês em junho para 9,06% em julho

G1

20 de Julho de 2010 - 14:32

As taxas médias de juros do cheque especial e do empréstimo pessoal voltaram a subir em julho, segundo levantamento da Fundação Procon de São Paulo. Foi o terceiro mês seguido de alta nas taxas, depois de um período de estabilidade.

No cheque especial, a taxa média cobrada pelos bancos passou de 8,90% ao mês em junho para 9,06% em julho. Quatro bancos elevaram as taxas cobradas: Banco do Brasil (de 7,69% para 7,75% a.m.), Bradesco (de 8,30% para 8,36% a.m.), Itaú (de 8,59% para 8,65% a.m.) e Unibanco (de 8,59% para 8,65% a.m.). Os demais bancos mantiveram suas taxas inalteradas.

Nas operações de empréstimo pessoal, a taxa média também subiu pelo terceiro mês, passando de 5,42% ao mês em junho para 5,28% este mês. Houve alta nas taxas cobradas pelo Banco do Brasil (de 4,68% para 5,28% a.m.), Bradesco (de 5,40% para 5,46% a.m.) e HSBC (de 4,83% para 4,87% a.m.).

Para a pesquisa, realizada no dia 5 de julho, foram consultados os seguintes bancos: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Real, Safra, Santander e Unibanco.

“A elevação das taxas médias neste mês, bastante superior – em pontos percentuais – à dos meses anteriores, não se deve apenas à contribuição individual dos bancos, mas notadamente à saída do Banco Nossa Caixa, principal responsável pelas menores taxas da amostra até então.

A partir deste mês, o Banco Nossa Caixa não integra mais a amostra da pesquisa, pois suas agências foram incorporadas pelo Banco do Brasil no último dia 25 de junho”, diz o Procon em nota.