Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 17 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Leia por Wellison Muchiutti: Filhos na Separação

Wellison Muchiutti

29 de Dezembro de 2010 - 14:00

Tenho estudado nesse começo de férias, um tema que sempre me chamou a atenção no meu dia-dia, que é a questão da Guarda dos filhos. Com quem ficar como é feito tais procedimentos para evitar que a criança ou adolescente cresça nesse conflito que é resultado da separação dos pais.

No que tenho percebido alguns Juristas ou mesmo Psicólogos, tenham dito que a melhor maneira de diminuir esse conflito, vem a ser quando é feita a Guarda Compartilhada, que não somente na parte das visitas e lazer, mas sim nas decisões de ambas partes, é ferramenta imprescindível para a minimização de conflitos entre o ex-casal, diferente da Guarda Exclusiva em que somente uma das partes tem o poder familiar.

Sabemos que ex-conviventes jamais serão ex-pais, assim é entendido nos Tribunais, tendo em vista que hoje mudou a maneira de se cuidar dos Filhos, não temos mais o “Pátrio Poder”, que era resultado da Família Contemporânea, tendo sido expurgada do pai a imagem do provedor e da mãe a de quem criava e educava, há a clara intenção dos pais, hoje é usado o termo  “Poder Familiar” onde é dividido os cuidados com a Criança e adolescente entre Pai e Mãe, excluindo o famoso dito popular “Pai de Família”.

Essas mudanças onde foi aplicada o Princípio da Igualdade da chefia Familiar estão fazendo grandes efeitos, mas que ainda está em mudanças depois da LEI N° 12.318 DE 26 DE AGOSTO DE 2010 “ ALIENAÇÃO PARENTAL”.  Denota um tempo para ser aceita, onde so Genitores não podem, digamos que induzir a criança denegrindo a imagem do outro genitor ou mesmo Avós, de quem está com a Guarda, para evitar danos Psicológicos na sua formação e desenvolvimento.

A grande luta ainda é quando um Recém- Nascido ou ainda criança que não possui percepção, se afasta de seus genitores por 15 dias, a sensação de abandono, não tendo o vínculo Familiar suficiente para seu desenvolvimento. O erro cometido ainda pelos Pais, quando tenta de várias formas a Guarda, exemplificando uma espécie de Troféu no Relacionamento quem conseguir ficar com a criança, não se preocupando nem um pouco com o futuro da mesma.

Vamos refletir e ver que a melhor forma é a GUARDA COMPARTILHADA, pois evita até mesmo o Judiciário a errar derrepente nas provas alegadas por alguma das partes que estão em litígio, deixando assim a não desqualificar a imagem de um dos genitores na vida da criança e adolescente.