Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Lixo doméstico a beira de rodovia provoca mau cheiro e reclames de moradores do Cascatinha

Além do lixo orgânico, são jogados a beira da rodovia animais mortos, entulho e até, utensílios domésticos descartados pelos moradores.

Paula Lucia/Região News

16 de Setembro de 2013 - 08:42

Apesar de os próprios moradores que residem na região do Cascatinha, Jardim Petrópolis e Morada da Serra serem apontados como culpados pela existência de uma lixão as margens da rodovia MS-162 (saída para o distrito do Quebra Coco), são deles também o maior número de reclamações sobre o mau-cheiro, do lixo e até das sacolas plásticas levadas pelo vento a moradias mais próximas.

A dona de casa Marilza Arguelho, de 49 anos, conta que permanecer na residência em dias em que o vento traz o odor do “lixão” é praticamente impossível. “É insuportável o mau-cheiro. Não tem condições de ficar em casa às vezes”, relata. Além do lixo orgânico, são jogados a beira da rodovia animais mortos, entulho e até, utensílios domésticos descartados pelos moradores.

“Não sei onde recorrer. As pessoas deveriam ter consciência e não deixar isso acontecer”, argumenta. Ela diz que a maioria das vezes as pessoas jogam o lixo em horário de pouco movimento, dificultando identificação. “Sempre vejo o pessoal descer pela rua e jogar lixo lá. Não posso fazer nada. Mora praticamente sozinha e não quero criar inimizade com ninguém”.

A Secretária de Serviços Urbanos deve fazer a limpeza da área e colocar placas proibitivas alertando os malfeitores. Caso a situação continue a ocorrer outras medidas poderão ser adotadas.