Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 18 de Julho de 2024

Sidrolandia

Lula diz que foi vítima de preconceito e exalta candidatos de MS

Cerca de 20 mil pessoas estiveram no comício do PT, na avenida Fernando Corrêa da Costa

Tv Morena

25 de Agosto de 2010 - 08:42

Vinte mil pessoas estiveram na avenida Fernando Corrêa da Costa, no comício do PT, compresença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da candidata à presidência, Dilma Rousseff, do candidato ao governo do Estado, Zeca do PT e candidatos ao Senado e à Câmara Federal. Lula falou cerca de cinquenta minutos e lembrou as primeiras disputas eleitorais à Presidência.

Lula disse que foi vítima de preconceito, por ser metalúrgico e com pouco estudo. Segundo ele, foi sempre questionado por não ter as condições ideais para ocupar a Presidência. “Eu era o 'anarfa', confundiam inteligência com conhecimento, com estudo”, disse. Lula ainda afirmou que setores da imprensa foram desrespeitosos com ele. “Se dependesse de alguns meios de comunicação, teria zero e não 80% de aceitação”.

Se referindo diretamente a Dilma Rousseff e Zeca do PT, Lula disse que se colocou no lugar dos candidatos, justamente por conta desse histórico político. “Tem gente que pensa 'se coloque no seu lugar, quem tem que mandar é banqueiro, não é bancário; quem tem que mandar é homem, não é mulher; não é o metalúrgico, que veio do andar de baixo'”. Em seguida, lembrou que perdeu três eleições, mas venceu duas e disse apostar na terceira vitória, com a candidata do PT.

Crítica

Sem citar o nome do governador do Estado, Lula criticou frases atribuídas à André Puccinelli. Inicialmente, o presidente lembrou os apelidos dados por Puccinelli: Pai Lula e Fada Madrinha, o último, dado a Dilma quando era ministra da Casa Civil. “Fiquei até agradecido por um homem que é governador do Estado reconhecer o trabalho (…) nunca perguntei para prefeito ou governador de qual partido ele era”.

Em seguida, disse que ficou chateado ao saber que o governador teria dito que não há mais Pai Lula e que Dilma não é mais a Fada Madrinha. “Não é justo, não é correto, não é eticamente aceitável (..) nunca pedi elogios a ninguém”. A mais recente referência de Puccinelli sobre a Fada Madrinha foi dada durante a visita do então pré-candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, que esteve em Campo Grande em julho.