Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 2 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Maçonaria divulga moção de repúdio contra fechamento de comarcas em MS

Conforme o texto, a Maçonaria é uma instituição fraternal, que procura meios de exercitar a beneficência

OAB/MS

17 de Julho de 2013 - 09:53

Por meio de nota de repúdio, o Grão Mestre da Maçonaria de Mato Grosso do Sul, Benilo Allegretti, lamentou a decisão do TJMS (Tribunal de Justiça do Estado) em desativar as comarcas de Angélica e Dois Irmãos do Buriti, e também do possível fechamento nas cidades de Deodápolis, Anastácio, Batayporã, Rio Negro e Itaporã.

Conforme o texto, a Maçonaria é uma instituição fraternal, que procura meios de exercitar a beneficência, e nesse sentido, solidariza-se com os milhares de pessoas que serão direta e indiretamente prejudicadas caso venha acontecer o fechamento das respectivas comarcas, em localidades que já vem sofrendo com a redução do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

“Propugnamos que o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul retire a proposta de desativação das Comarcas em nosso Estado”, diz a nota de repúdio.

A OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul) já entrou com uma representação junto ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) para tentar barrar a decisão de desativação das comarcas de Angélica e Dois Irmãos do Buriti, como também impedir o fechamento já anunciado aos demais municípios.

No dia 25 de julho, os advogados, os movimentos sociais, estudantis e diversas entidades de classe juntam-se na “Caminhada pela Justiça” exigindo a abertura do Fórum em período integral, a permanência das comarcas, a transparência nas contas e o combate à corrupção entre outras bandeiras.