Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 20 de Julho de 2024

Sidrolandia

MANIPULAÇÃO DO ESTADAO DE SÃO PAULO, MOSTRA QUE NÃO É NEUTRO.

Hoje cedo o IBGE divulgou o seu relatório de Desenvolvimento Social, uma publicação extremamente rica em dados.

Tijolaço

01 de Setembro de 2010 - 12:30

Hoje cedo o IBGE divulgou o seu relatório de Desenvolvimento Social, uma publicação extremamente rica em dados, dos quais destacarei alguns, ao longo dos dias. Nela, se revelam tanto os problemas quanto os avanços obtidos pelo país nos últimos anos. Mas, para começar, vou me ater na forma com que o Estadão tratou o assunto. Vejam:

PIB per capita do Brasil cresceu 21,7% em 14 anos

RIO – Nos últimos 14 anos, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita do Brasil cresceu 21,7%, e saltou de R$ 4.441,00 (1995) para R$ 5.405,00 em 2009. É o que mostrou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em sua pesquisa “Indicadores de Desenvolvimento Sustentável”, referente ao ano de 2010.

Que bom, não é? Um jornalismo neutro, imparcial, objetivo.

Nada disso.

MANIPULAÇÃO DO ESTADAO DE SÃO PAULO, MOSTRA QUE NÃO É NEUTRO.

Olhe o gráfico que extraí da própria publicação da instituição e separado pelo que deveria ser a visão correta do jornalismo: esclarecer quando e em que ritmo se deu este crescimento acumulado de 21,7% em 14 anos.

No período Fernando Henrique, o PIB per capita (ou seja, a riqueza nacional dividida pelo número de habitantes) passou, em valores constantes de 1995, de R$ 4.441 para R$ 4,598. Um crescimento no período de 3,14%. Em média anual, um crecimento de apenas 0, 387%.

No período Lula, em sete anos, a variação foi de R$ 4.588 para R$ 5.405, já considerando a ligeira queda em 2009, pela crise mundial. Logo, nos sete anos de Governo Lula, o PIB per capita subiu 15,11%, quase cinco vezes mais que no Governo FHC. Em média anual, o crescimento foi de 2,03%.

Estes dados já haviam sido adiantados, como previsão, pelo Ministério da Fazenda, e deles que tratei aqui. Agora, porém, são números oficiais do IBGE, aos quais não se pode acusar de “politizados”

Fazendo uma projeção nada otimista de que o PIB cresça 6 % e a população, 1%, como em 2008, a taxa de crescimento acumulado do PIB per capita ao final do Governo Lula alcançará mais de 24%, ou uma média anual de 2,7%, seis vezes maior que com FHC.

Mas isso os jornais e televisões não dirão. Não é notícia. Notícia, para eles, é ficar especulando com acusações sem nenhuma prova, mas que possam servir para atingir Dilma.

Talvez os sdábios do jornalismo econômico brasileiro precisem ler a história de Beremiz Samir, O Homem que Calculava, de Malba Tahan, que ao ensinar matemática a um princesa árabe, disse-lhe, como primeira frase do curso: “medir, senhora, é comparar”.