Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Maio de 2021

Sidrolandia

Ministério aperta o cerco contra fraudes no seguro-defeso

A mudança do sistema vai aumentar a fiscalização sobre essas licenças. Em Mato Grosso do Sul há cerca de 6,5 mil cadastrados nessa modalidade

Correio do Estado

10 de Fevereiro de 2017 - 17:00

O Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (MAPA) publicou no Diário Oficial da União a Portaria n° 346, que aprova o Plano de Ação “Pescador Legal” e institui o Comitê Revisor do Cadastro de Pescadores Profissionais Artesanais.

A mudança do sistema vai aumentar a fiscalização sobre essas licenças. Em Mato Grosso do Sul há cerca de 6,5 mil cadastrados nessa modalidade. Entre esses licenciados, uma parte tem direito a receber seguro durante a piracema no valor de um salário mínimo (R$ 937). No Estado são cerca de 3,2 mil pessoas com esse direito.

O principal objetivo do comitê é o de construir e incorporar um novo cadastro dos pescadores profissionais artesanais no Registro Geral de Pesca, que deverá entrar em operação no próximo mês de maio.

O diretor do Departamento de Monitoramento e Controle da Aquicultura e Pesca, Márcio Cândido Alves, explica que está em desenvolvimento o novo sistema de registro, “que proporcionará o cruzamento de dados com os demais sistemas da União, como o da Receita Federal, o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), o Sistema de Controle de Óbitos (SISOBINET), da DATAPREV, entre outros”.

O Plano de Ação prevê o recadastramento dos pescadores profissionais artesanais dentro do Sistema de Cadastro do Produtor Rural e demais Agentes (SICAN), hoje sediado na Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), que encontra-se em fase de adaptação.

A Conab tem mecanismos melhores para aumentar o controle na emissão desses registros por conta de ferramentas de inteligência. O objetivo é coibir fraudes.

“O sistema SICAN permitirá que auditemos e fiscalizemos todo o sistema. O verdadeiro pescador artesanal não tem com o que se preocupar, pois o novo sistema é a garantia de que ele receberá o seguro-defeso. Já o fraudador será excluído e, ainda, responsabilizado perante à legislação vigente. Em breve, lançaremos campanha de divulgação sobre o assunto,” adiantou Márcio Cândido.

O sistema está ancorado em plataforma informatizada, que facilitará a vida dos pescadores, pois não precisarão mais se deslocar até as Superintendências Federais de Agricultura.