Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 25 de Maio de 2022

Sidrolandia

Ministério da Saúde coloca Sidrolândia em situação de alerta para epidemia de dengue

Nesta mesma situação estão outras 38 cidades do Estado. Só em Nova Andradina e Amambai que o quadro é considerado grave.

Flávio Paes/Região News

25 de Novembro de 2015 - 15:34

Com um índice de infestação de 1% (1 em cada 100 imóveis tem focos do mosquito transmissor da doença) conforme o resultado do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRA), Sidrolândia foi colocado em estado de alerta pelo Ministério da Saúde para o risco de epidemia de dengue.

Nesta mesma situação estão outras 38 cidades do Estado. Só em Nova Andradina e Amambai que o quadro é considerado grave. A Secretaria Municipal de Saúde garante que a situação está sob controle e que o índice de infestação detectado pelo LIRA com tendência de crescimento quando o levantamento é feito em semanas de chuvas, quando a tendência é aumentar a quantidade de água parada em recipientes onde larvas do mosquito podem proliferar.

Pelo último levantamento divulgado pela Secretaria Estadual, referente a semana epidemiológica encerrada no último dia 14, no acumulado do ano foram 249 notificações de pacientes com suspeitas da doença, 20 a mais que o período anterior onde as larvas foram encontradas.

Dos 79 municípios do Estado, 39 foram percorridos pelo levantamento. Desses, Amambai e Nova Andradina receberam classificação de risco para a dengue. Aparecida do Taboado, Bataguassu, Bonito, Cassilândia, Corumbá, Dourados, Itaporã, Ivinhema, Jardim, Maracaju, Naviraí, Paranaíba, Pedro Gomes, Ponta Porã, São Gabriel do Oeste, Sidrolândia, Terenos e Três Lagoas receberam alerta para doença.

Campo Grande e outras 18 cidades tiveram índices satisfatórios. Uma campanha estadual pretende ampliar a conscientização para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti é o principal objetivo campanha de prevenção à dengue e chikungunya lançada Secretaria Estadual de Estado.

A meta é reforçar os trabalhos nos 79 municípios para evitar ambientes favoráveis para a reprodução do mosquito. Para o secretário, Nelson Tavares, as ações da SES têm direcionado esforços constantes em parceria com os municípios na conscientização da população para assim evitar criadouros do mosquito transmissor.

“A SES está atuando praticamente em duas frentes, na arte estrutural das equipes que trabalham no monitoramento dos focos do mosquito e também no trabalho junto a população. Sem a participação da sociedade a campanha não atinge o seu objetivo, por isso reforçamos esse compromisso nas ações. É importante que cada pessoa assuma estas ações”, disse o secretário.