Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 24 de Junho de 2021

Sidrolandia

Moka convoca Alexandre Padilha para explicar valor de contrato

Médicos cubanos chegaram a Brasília, Fortaleza, Recife e Salvador, nos dias 24 e 25 de agosto e estão passando por um treinamento de 120 horas.

DE BRASILIA

29 de Agosto de 2013 - 08:00

A CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado, presidida pelo senador Waldemir Moka (PMDB), decidiu convidar o ministro da Saúde, Alexandre Padilha e o representante no Brasil da OPAS/OMS (reganização Pan-americana de Saúde), Joaquim Molina, para detalhar o custo do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Governo Brasileiro e a OPAS para a contratação de médicos estrangeiros, vinculados ao Programa Mais Médicos.

Os senadores da CAS querem saber quanto foi repassado pelo ministério e o valor total do contrato firmado. “Precisamos ter informações claras sobre a contratação e sobre o acordo internacional, as quais ainda não foram divulgadas”, justificou o presidente da CAS.

Na abertura da reunião da Comissão de ontem (28), o senador Moka defendeu um plano de carreira para a categoria médica e o aumento do repasse de recursos da União para o SUS (Sistema Único de Saúde).

“Trazer médicos de fora não vai resolver a questão da atenção básica, porque o problema da saúde é estrutural. O foco deve ser dado na falta de infraestrutura da saúde pública brasileira”, disse o senador.

O tema provocou um longo debate na CAS, que aprovou requerimento para que a audiência pública sobre o tema seja realizada em conjunto com as Comissões de Assuntos Econômicos; de Educação; de Direitos Humanos; de Meio Ambiente; e de Ciência e Tecnologia do Senado.

Os parlamentares da comissão mista temporária, criada para analisar a MP 621/13 (Medida Provisória) que institui o Programa Mais Médicos, serão comunicados e convidados para o debate.

Médicos cubanos chegaram a Brasília, Fortaleza, Recife e Salvador, nos dias 24 e 25 de agosto e estão passando por um treinamento de 120 horas. Os aprovados serão encaminhados para os municípios e a estimativa é que iniciem o atendimento à população na segunda quinzena de setembro.