Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Moradores de Porto Murtinho reclamam da falta de estradas

A reportagem acompanhou o ônibus escolar e foi possível ver de perto aquilo que os estudantes enfrentam no ano inteiro, num trecho de 46 quilômetros.

Midiamax

30 de Maio de 2011 - 11:00

Produtores rurais e moradores das comunidades distantes de Porto Murtinho encaminharam ao Midiamax a denúncia de que o estado de conservação das estradas estaduais no município é tão precário que torna quase impossível trafegar por elas sem passar por horas e horas de solavancos e quebra de veículos.

Para conferir a denúncia, a reportagem acompanhou o verdadeiro drama enfrentado por todos os que trafegam nas vicinais da cidade, quer sejam estudantes, caminhoneiros ou produtores rurais.

Quem mais sofre, de fato, são as crianças. Ainda de madrugada, elas deixam suas casas na zona rural em torno de quatro horas da madrugada, para chegar na escola às sete da manhã. A reportagem acompanhou o ônibus escolar e foi possível ver de perto aquilo que os estudantes enfrentam no ano inteiro, num trecho de 46 quilômetros.

A estrada estadual é tão esburacada que o trajeto dura aproximadamente três horas na ida e mais três horas na volta. Assim, são quase seis horas diárias de chão mal batido, para cursar o ensino fundamental.

Nesse tempo, daria para se fazer uma viagem de Campo Grande a Porto Murtinho, com 454 quilômetros, e com alguma folga. Isso, quando não chove, porque aí é impossível transitar. Ou quando o ônibus não quebra no meio do caminho e da escuridão.

As crianças e adolescentes que fazem o percurso não têm uma vida normal porque precisa acordar de madrugada, dorme à tarde, depois das aulas, e voltam à dormir cedo. Mal estudam e mal aproveitam a infância e a juventude.

Governo do MS tem dois programas para estradas estaduais

O governo estadual tem pelo menos dois programas criados para recuperar as estradas do MS, o chamado Programa de Melhorias das Vias Estaduais (Provias) e Fundersul.

O Fundersul é um imposto cobrado de produtores rurais e pecuaristas, com o qual o governo estadual estima arrecadar cerca de R$ 176 milhões neste ano.

Os pecuaristas pagam pela movimentação de gado cerca de R$ 7,00 por cabeça de boi maduro e R$ 4,00 por bezerro. No município de Porto Murtinho existem cerca de 800 mil cabeças de gado, das quais cerca de 500 mil pagam o Fundersul quando são movimentadas, segundo o sindicato dos produtores rurais da cidade.

Veja o vídeo sobre o drama dos estudantes das comunidades rurais. A próxima reportagem desta série, amanhã, será com os produtores rurais.