Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 18 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Moradores do Sidrolar II reivindicam iluminação pública que é cobrada na conta de luz

Quem também compartilha da mesma preocupação é Simone Maria Moraes residente na Rua Projetada, última via do bairro

Flávio Paes/Região News

06 de Setembro de 2013 - 14:00

As 60 famílias do conjunto habitacional Sidrolar II ,inaugurado há cinco meses, estão sem iluminação pública. Eles enfrentam a situação  embora todo mês estejam pagando (junto com a conta de luz) a COSIP (Contribuição de Iluminação Pública) que corresponde a 14, 64% da fatura de energia.

“Isto aqui a noite é uma escuridão total. Não durmo enquanto meu filho que estuda no Catarina de Abreu não chega da escola. Ele vem de bicicleta e fico preocupada que aconteça algo. Com tanta violência por aí a gente sempre pensa no pior", reclama a dona de casa Maria da Conceição.

Quem também compartilha da mesma preocupação é Simone Maria Moraes residente na Rua Projetada, última via do bairro. “As casas não tem muro e com a escuridão facilita a ação dos ladrões que aproveitam à noite para levar tudo que encontram no quintal” observa. Na sua conta de luz do mês de agosto R$ 97,36 a Enersul está cobrando R$ 14,26 de iluminação pública. “Estamos pagando por um serviço que não é oferecido” se queixa.