Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Morre em Curutiba aos 81 anos, o ex-ministro Affonso Camargo

A família informou apenas que não haverá velório e pediu para que não sejam enviadas coroas de flores

Conjuntura Online

25 de Março de 2011 - 16:26

Autor da lei que criou o vale-transporte, morreu nesta quinta-feira em Curitiba, aos 81 anos, o ex-senador e ex-ministro Affonso Alves de Camargo (PSDB). A causa da morte não foi divulgada. A família informou apenas que não haverá velório e pediu para que não sejam enviadas coroas de flores. O governador do Paraná, Beto Richa, decretou luto oficial de três dias.

Affonso Camargo nasceu em Curitiba e herdou o nome do avô, Afonso Alves de Camargo, presidente do Paraná (cargo equivalente, na época, ao de governador) de 1916 a 1920. A biografia política teve início em 1964, como vice-governador paranaense (no primeiro mandato de Ney Braga). Entre 1979 e 1987 foi senador da República. Em 1989 candidatou-se à Presidência da República pelo PTB, a primeira eleição presidencial com voto direto após o fim do regime militar.

Camargo foi duas vezes secretário estadual de Justiça e de Fazenda, presidiu do Banco do Estado do Paraná e foi diretor do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado. Na década de 1980, foi indicado pelo então presidente José Sarney para assumir o Ministério dos Transportes. Na gestão do ex-presidente Fernando Collor, foi ministro das Comunicações e, posteriormente, dos Transportes.

Ao comentar a morte do político, o governador Beto Richa definiu a criação do vale-transporte como "uma importante conquista social para os trabalhadores". O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, também decretou luto oficial de três dias. "Perdemos um homem público identificado com as causas do Paraná. Sua história e trajetória política ficam como exemplo do esforço e comprometimento com os valores do bem comum e da justiça social", disse em nota.