Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 27 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Morte de família inteira em desastre aéreo no Pantanal de MS choca amigos

Alexsandro diz que o que mais marcava em Fernanda era sua postura gentil e delicada. “Era uma menina muito meiga e dócil. Era também muito esforçada e batalhadora”, conta.

Midiamax

21 de Outubro de 2013 - 13:00

Os amigos do casal Ricardo Jardim de Almeida, 48 anos e Fernanda Braga dos Santos, 35 anos, ainda estão chocados com a notícia da morte dos dois, que aconteceu na tarde de ontem (20) após a queda do monomotor em que eles estavam cair no meio do Pantanal.

Quem conviveu com Fernanda lamenta a perda da menina dócil e batalhadora. Alexsandro Nogueira, 41 anos, estudou com a jovem durante quatro anos de faculdade. Ele conta que morava perto de Fernanda e costuma dar carona a ela. “Muitas vezes dei carona para ela. Ela era de Aquidauana e a gente morava meio que próximo aqui em Campo Grande. Então, a gente voltava junto da faculdade”, diz.

Alexsandro diz que o que mais marcava em Fernanda era sua postura gentil e delicada. “Era uma menina muito meiga e dócil. Era também muito esforçada e batalhadora”, conta.

Ele lembra que depois já formado foi trabalhar em uma revista e uma vez recebeu um texto da amiga e precisou adaptá-lo para o formato da mídia. Ele então ligou para Fernanda dizendo que iria mexer no texto e se surpreendeu mais uma vez com a educação da jovem. “Você sabe como é, jornalista não gosta que mexe no texto. Então, eu liguei e avisei, e ela muito educada me disse para eu ficar a vontade e melhorasse o que fosse preciso. Era uma pessoa sensacional”, diz.

Quem também se lembra dela com muito carinho e admiração é Mayra Franceschi, 43 anos. Ela foi professora de Fernanda durante a faculdade. “Dei aula para ela de Relações Públicas, depois fui orientadora, e também foi comigo que ela começou a trabalhar”, diz. “Era uma pessoa extremamente educada, de muita finesse. E a apesar de toda a competência e talento sempre teve uma postura dócil e gentil”, conta.

A professora lembra que depois com a correria do dia a dia, acabaram perdendo o contato, mas a aluna exemplar a marcou para sempre.

O secretário de habitação Carlos Marun também lamentou a morte da família em seu facebook.  Marun conta que conheceu Ricardo no inicio dos anos 90, quando foi o engenheiro responsável pelas obras de ampliação da tornearia Almeida, hoje Indústria Rigna. “Gente alegre e trabalhadora, residiam no mesmo condomínio onde moro. A sua partida deixa uma enorme tristeza em todos aqueles que tiveram o privilegio de com eles conviver. Que Deus conforte as famílias e os tenha entre os seus”, diz.

O acidente

A aeronave prefixo PT NKO, modelo P28R, saiu às 5h30 de ontem de Campo Grande com destino a Corumbá, onde a família tem fazenda. Por volta das 8 horas, o avião foi dado como desaparecido. A FAB foi acionada e por volta das 17 horas uma aeronave civil avistou os destroços do avião.