Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 4 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Movimentadores de Mercadorias de MS participam de curso de negociação coletiva em MT

De acordo com José Lucas da Silva, a principal batalha trabalhista da categoria é a concretização de acordos e convenções coletivas de trabalho.

Assessoria

04 de Outubro de 2013 - 07:30

Hoje (4), a CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e a Federação Interestadual dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias em Geral de MS e MT  (FEINTRAMAG), em parceria com o Dieese, promoverão o curso “Estrutura e Processo de Negociação Coletiva” para os dirigentes sindicais da categoria. A capacitação ocorre em Cuiabá, e participarão do curso mais de 40 representantes de sindicatos do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia.

No treinamento, segundo José Lucas da Silva, presidente da FEINTRAMAG e coordenador da CSB/MS, os técnicos do Dieese apresentam aos participantes o conceito e o processo de negociação coletiva. Palestras sobre o comportamento e a argumentação da negociação, aspectos teóricos e práticos, além do planejamento de campanha, fazem parte do cronograma de atividades.

José Lucas da Silva, afirma que a CSB – por meio do curso – contribui bastante para o preparo dos representantes dos seus sindicatos. “É muito importante que o diretor sindical, no momento da negociação, esteja devidamente preparado e não bote a categoria em sacrifício”, pontuou.

De acordo com José Lucas da Silva, a principal batalha trabalhista da categoria é a concretização de acordos e convenções coletivas de trabalho. O curso acontece na sede do Sindicato dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias em Geral de Cuiabá, na rua B do Distrito Industrial de Cuiabá.

Nesse encontro, José Lucas deverá também tecer comentários sobre a terceirização, que está prejudicando os trabalhadores em todo Brasil. “Esse famigerado processo de contratação de pessoal está se alastrando por todo o País e tem provocado muitos prejuízos para a classe trabalhadora”, afirma. Ele é um dos que empunha a bandeira contra a aprovação desse projeto no Congresso Nacional.