Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 24 de Junho de 2021

Sidrolandia

MS Forte 2: Com os programas sociais, 100 mil famílias são atendidas todos os meses no Estado

Outro investimento é a previsão de entrega de 37 veículos e 52 equipamentos de informática para os Conselhos Tutelares ainda no ano de 2013

Notícias MS

23 de Agosto de 2013 - 09:00

No lançamento do programa de obras e ações – MS Forte 2, o governador André Puccinelli destacou que os programas sociais mantidos e financiados pelo governo do Estado irão continuar para melhorar cada vez mais a vida de pelo menos 100 mil famílias sul-mato-grossenses que todos os meses são beneficiadas diretamente. Somente na área da assistência social os investimentos somam R$ 428,8 milhões sendo R$ 427,7 milhões em ações sociais e R$ 1,180 milhão em obras.

Do total de famílias beneficiadas no Estado, 60 mil famílias recebem o benefício mensal através do Programa Vale-Renda. “Serão R$ 170 milhões para o próximo ano”, contabilizou Puccinelli em relação ao repasse total deste importante auxílio financeiro mensal, pago em dinheiro. Desde a sua criação até o ano de 2014, o Vale Renda repassará as 60 mil famílias beneficiadas um total de R$ 685 milhões, recursos que combatem a vulnerabilidade social e geram renda para milhares de outras famílias sul-mato-grossenses.

Puccinelli também destacou outras ações do governo do Estado que estão garantindo uma profissão e um futuro promissor para estudantes de Mato Grosso do Sul. São programas como o Vale-Universidade e Vale-Universidade Indígena. “O programa atenderá 1.500 acadêmicos sendo 120 indígenas”, destacou.

O governo do Estado continuará mantendo a parceria com o governo federal para programas de qualificação profissional como o Pró Jovem Trabalhador - com a meta de atender 5.500 jovens. “São programas a nível de segundo grau para que a pessoa possa exercer uma profissão e no mercado competitivo de trabalho ter a sua participação”, disse André. O Estado também manterá o programa de microcrédito por meio do Banco da Gente.

Em relação às comunidades indígenas, o governador citou o Programa de Complementação Alimentar.  “Eram 14 mil famílias e hoje já estamos beirando o número de 15 mil. Todas as famílias continuarão a receber uma cesta alimentar de 27 quilos incluindo cinco quilos de proteína animal, que no início do governo era de tão somente 22 quilos”, lembrou.

Fundos

Mais famílias estão sendo beneficiadas com repasses feitos para ações sociais através dos fundos municipais de assistência social e do Fundo de Investimento Social (FIS). O governo estadual aumentou em mais de 232% o valor da transferência dos recursos para os fundos municipais de Assistência Social que atendem serviços de entidades e serviços próprios das Prefeituras.

“Eram R$ 11 milhões que aplicávamos em assistência social e ampliamos para R$ 20 milhões por mês”, se referiu o governador ao repasse dos recursos do FIS. Por meio do Fundo de Investimento Social o Estado tem garantido desde 2008 recursos para serem aplicados mensalmente em Mato Grosso do Sul na assistência social. Para a saúde estão sendo repassados R$ 9 milhões. 

Tanto o governo estadual – que fica com 75% dessa receita – quanto as prefeituras – a quem o Estado repassa 25% - utilizam o dinheiro exclusivamente em ações dessa área.

Mais investimentos

Além dos programas sociais como Vale-Renda, Vale-Universidade e Vale-Universidade Indígena, o MS Forte 2 manterá o cofinanciamento do Estado para a Política de Assistência Social (repasse fundo a fundo para os municípios) e o Fundo de Investimento Social.

O Programa de Proteção à Testemunha tem a meta de proteger 30 pessoas e o Programa "Documentação para todos" também tem a meta de expedir 21.000 documentos para as comunidades indígenas e quilombolas.

Outro investimento é a previsão de entrega de 37 veículos e 52 equipamentos de informática para os Conselhos Tutelares ainda no ano de 2013. O Estado também vai realizar obras de construção/manutenção das sedes do Vale-Renda e implantação de quatro Centros Integrados de Atendimento ao Trabalhador nos municípios de Cassilândia, Fátima do Sul, Amambai e São Gabriel do Oeste.

Por meio do MS Sustentável, haverá apoio aos municípios para a inclusão e organização social dos catadores de materiais recicláveis, além do programa MS Solidário com a capacitação e promoção de feiras da economia solidária. O Estado também vai readequar o prédio da Central de Comercialização dos produtos, em Campo Grande.