Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Sidrolandia

MS, MT e PR se unem e cobram investimento em ferrovias com acesso aos portos

A reunião ocorre na tarde desta quinta-feira (1º), na sede da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

Midiamax

01 de Agosto de 2013 - 14:45

Representantes dos governos e produtores rurais de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná se reúnem para definir estratégias, e pressionar a União a ampliar os investimentos nas rodovias que cortam os três estados. A reunião ocorre na tarde desta quinta-feira (1º), na sede da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

Principais ‘clientes’ do porto de Paranaguá (PR), MS e MT cobram melhor infraestrutura de logística e tentam incluir o investimento em ferrovias dentro do planejamento das obras do PAc (Programa de Aceleração do Crescimento), do Governo Federal.

“Precisamos desses investimentos para melhorar a logística do estado, e reduzir o custo dos produtos. Com essa integração, só vai dar Mato Grosso do Sul”, afirmou o governador André Puccinelli (PMDB), presente na reunião.

O presidente da Ferroeste, João Vicente Bresolim Araújo foi outro a apoiar a integração entre os estados. “Viemos afinar o discurso, para pleitear as melhorias junto ao Governo Federal, e precisamos nos alinhar”, comentou.

Também presente na reunião, o prefeito de Dourados Murilo Zauith (PSB) garante que a cidade pode virar um ‘entroncamento’ logístico, com a união de trechos ferroviários, que podem ampliar ainda mais a capacidade produtiva de Dourados.

“Vamos conversar com o governo federal, e estaremos alinhados para esta discussão”, garantiu Zauith. A implantação das duas ferrovias (Ferroeste e Norte Sul), prevista para começar no ano que vem, fará de Dourados um entroncamento que possibilitará o transporte de produtos de todo o Estado para outras regiões do país e exterior.

Pelos estudos que estão sendo concluídos, o novo ramal da Ferroeste atravessará Mato Grosso do Sul e Paraná, abrangendo os municípios sul-matogrossenses de Sidrolândia, Maracaju, Dourados, Itaporã, Caarapó, Amambai, Juti, Naviraí, Iguatemi, Itaquiraí, Eldorado, Mundo Novo e Japorã.

No Paraná, serão impactadas as cidades de Guaíra, Terra Roxa, Nova Santa Rosa, Maripá, Toledo, Tupãssi, Cascavel, Catanduvas, Ibema, Campo Bonito, Guaraniaçu, Nova Laranjeiras, Laranjeiras do Sul, Marquinho, Virmond, Cantagalo, Goioxim, Candói, Guarapuava, Inácio Martins, Prudentópolis, Irati, Rebouças, Fernandes Pinheiro, São João do Triunfo, Palmeira, Lapa, Porto Amazonas e Balsa Nova. O custo para a implantação da Ferroeste será de aproximadamente R$ 9,9 bilhões, com uma extensão prevista de 990 quilômetros.