Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 18 de Agosto de 2022

Sidrolandia

MST/MS consegue liberação de R$ 3,5 milhões de recursos para infraestrutura de Assentamentos

Os recursos serão liberados para os assentamentos de Sidrolândia e Ponta Porã.

Karina Vilas Bôas

02 de Outubro de 2015 - 21:32

Na tarde desta sexta-feira (2), a direção do Movimento dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul (MST/MS) se reuniu com representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e com o prefeito de Sidrolândia, Ari Basso, o diretor de Planejamento, Geraldo Alves dos Santos e outros representantes da administração municipal, no intuito de firmar uma parceria para implantação da rede de água no assentamento Nazaré, que fica localizado próximo a BR 163, dentro da área distrital do município, no valor de R$ 1,5 milhão.

Além disso, o movimento também debateu a destinação de R$ 2 milhões para a recuperação de estradas no assentamento Itamarati, que fica localizado no município de Ponta Porã. A agenda e a liberação dos recursos aconteceu após a ida de representantes do MST de MS a Brasília, no dia 16 de outubro. Na ocasião os dirigentes se reuniram com o vice-presidente do Incra Nacional, Leonardo Góes Silva e colocaram a urgência na melhoria da infraestrutura dos assentamentos do Movimento no estado.

De acordo com Jonas Carlos da Conceição (Beto do MST), dirigente nacional do Movimento, que esteve em Brasília nas articulações para a liberação dos recursos, a consolidação da conquista é uma vitória para as famílias assentadas e fruto de muito esforço do MST. "Algumas coisas são fundamentais para sobrevivência, dentre elas a água, portanto a liberação do recurso é fundamental para garantir a qualidade de vida das nossas famílias, ressaltando também que essa conquista é fundamental para garantir a produção, que é o sonho dos nossos assentados", disse.

Sobre o recurso liberado para a Itamarati, Beto do MST, ressalta que a melhoria das estradas é de suma importância para o escoamento da produção. "Hoje na Itamarati já se colhe cerca de 2,3 milhões de sacas de soja, 2 milhões de milho e se produz 50 mil litros de leite por dia e essa produção precisa ser escoada, nesse sentido a qualidade das estradas são fundamentais", ressalta. Os recursos já foram empenhados e devem ser aplicados até o final do ano.