Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Na abertura da 23ª edição da Super Amas, André reitera apoio do governo do Estado ao setor varejista

Em pronunciamento aos participantes, o governador destacou as potencialidades do Estado para a vinda de indústrias e, consequentemente, a geração de emprego e de renda.

Notícias MS

24 de Setembro de 2013 - 07:40

O governador André Puccinelli prestigiou na tarde desta segunda-feira (23) a abertura da 23ª edição da Super Amas, uma feira de negócios varejistas da região Centro-Oeste que está sendo realizada no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco, na Capital.

A feira, que acontece até o dia 25 de setembro, reúne proprietários e profissionais que atuam nos segmentos de supermercados, bares, hoteis, padarias, conveniências e restaurantes, interessados em conhecer lançamentos e melhores condições de negócios para o setor.

Em pronunciamento aos participantes, o governador destacou as potencialidades do Estado para a vinda de indústrias e, consequentemente, a geração de emprego e de renda. Apesar da luta em relação aos indexadores da dívida dos Estados, a Lei Kandir e o pouco percentual no que se refere ao Fundo de Participação dos Estados (FPE), André fez questão de ressaltar que Mato Grosso do Sul vem se desenvolvendo a cada dia.

“Nós desoneramos muitos setores, diminuindo a pauta fiscal. O único tributo dos Estados é o ICMS e depende de nós. Qual foi a diferença então se não houve aumento da alíquota e redução de alguns na pauta fiscal? O que modificou é que nós nos integramos para que a fiscalização se fizesse eficiente e não foi por aumento de percentuais de tributos e nem por aumento de valores nominais de tributos que a arrecadação cresceu”, disse André.

O governador lembrou que desde a época em que era prefeito de Campo Grande a Associação Sul-mato-grossense de Supermercados (Amas) sempre teve o seu apoio. “Esta parceria que estabelecemos foi boa. Essa feira de negócios vai mostrar a pujança do Centro-Oeste ao Brasil na questão dos supermercados, bares, restaurantes, conveniências, seja na venda de produtos ou intercâmbio comercial”, disse.

Parceiro do segmento, o governo do Estado, conforme Puccinelli, postergou o recolhimento do ICMS das vendas que serão realizadas durante a feira de negócios em até 30 dias. “O Estado sempre se pôs ao lado do segmento do comércio responsável pela geração de empregos, renda e tributos”, salientou.

Otimista, o presidente da Amas, Acelino de Souza Cristaldo, disse que a expectativa é de que pelo menos quatro mil pessoas passem pela feira. “No ano passado nosso evento foi um sucesso onde foram realizados muitos negócios. Nossos expositores trazem preços, negociações diferenciadas, algumas novidades e lançamento de alguns produtos”, informou.

São 100 estandes com mais de 600 marcas nacionais e regionais. É esperado um público de quatro mil pessoas e a geração de negócios em torno de R$ 50 milhões. Em 2012, o volume de negócios realizados durante o evento chegou a R$ 42 milhões.

Essa expectativa de bons negócios é aliada também ao apoio do governo do Estado ao setor. “O governo do Estado tem sinalizado positivamente todas as nossas reivindicações. Nesta feira, os nossos fornecedores estarão com negócios para oferecer e o que queremos é que os supermercadistas do Centro-Oeste melhorem cada vez mais o seu lado de empreendedor”, ressaltou Acelino de Souza Cristaldo.

Palestrante do evento, o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Fernando Yamada, fez um elogio ao chefe do Executivo Estadual pela política de atração de indústrias em Mato Grosso do Sul. “Várias indústrias que investem no Estado são bem recebidas e isso é muito importante. Como dizem, aqui é o Estado mais simples para poder investir e o governador daqui quer inovação. Esse é o elogio que o pessoal faz pelo Brasil afora. O incentivo todo Estado dá, mas a segurança e a credibilidade é muito forte”, comentou.

O evento é realizado pela Amas e pelo Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Campo Grande. Conta ainda com o apoio do Sebrae, patrocínio do governo do Estado e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur).