Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 28 de Novembro de 2020

Sidrolandia

Nenhuma empresa se habilita para assumir pedágios de rodovias de MS

A licitação, que previa outorga de R$ 25 milhões e cobrança de pedágio de R$ 4,30 a cada 100 quilômetros, foi declarada

Campo Grande News

05 de Agosto de 2014 - 15:44

Nenhuma empresa se habilitou, na tarde de hoje, para assumir a concessão de oito rodovias estaduais de Mato Grosso do Sul. A licitação, que previa outorga de R$ 25 milhões e cobrança de pedágio de R$ 4,30 a cada 100 quilômetros, foi declarada deserta pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos).

De acordo com a Comissão de Licitação, 11 empresas adquiriram o edital do certame: Cia Participações e Concessões S/A; Compasa do Brasil Ltda; Construtora Queiroz Galvão S/A; Construtora Saches Tripoloni Ltda; Correio do Estado S/A; Engepar Engenharia e Participações Ltda; Equipe Engenharia Ltda; Lepavi Ltda; Monarca Agromercantil Ltda; Pratika Engenharia Ltda; e Queiroz Galvão Desenvolvimento de Negócios S/A.

No entanto, nenhuma empresa ou consórcio se habilitou para disputar a concessão das rodovias MS-112, MS-135, MS-180, MS-223, MS-289, MS-295, MS-306 e MS-316. A proposta previa o pagamento de no mínimo de R$ 25 milhões para assumir os 464,2 quilômetros.

Como não houve manifestação de interessados, a licitação 027/2014 foi declarada “desertada”. Pelo valor envolvido no negócio, a falta de interessados surpreendeu a equipe da administração estadual, admitiu o coordenador da Central de Licitações da Agesul, Luiz Cândido Escobar.

O Governo pode lançar novamente o edital para tentar atrair interessados. A privatização das estradas tem a finalidade de evitar a degradação das rodovias com a cobrança de pedágio na BR-163 a partir de outubro de 2014, que terá tarifa média de R$ 4,38 a cada 100 quilômetros.