Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 25 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Obra de asfalto no Cascatinha II é suspensa e sonho vira pesadelo diz moradores

Preocupados com a situação, moradores se mobilizam e cobram posição imediata do Prefeito Daltro Fiuza sob ameaça de protesto

Marcos Tomé/Região News

10 de Abril de 2011 - 18:21

Obra de asfalto no Cascatinha II é suspensa e sonho vira pesadelo diz moradores
Obra de asfalto no Cascatinha II - Foto: Marcos Tom

A empreiteira  que  iniciou em outubro do ano passado a pavimentação de algumas ruas do Bairro Cascatinha II comunicou aos operários na sexta-feira a paralisação das obras.  Como a empresa não estaria recebendo da prefeitura decidiu transferir pessoal e equipamentos para cidades vizinhas onde venceu a licitação também para asfaltamento urbano.

O projeto prevê a execução de 7.075,07 metros de quadrados de pavimento, custeado com R$ 196,4 mil obtidos junto ao Ministério das Cidades e R$  41.688,86, de contrapartida do município. O andamento da obra foi prejudicado pelas chuvas (em março foram poucos os dias de estiagem) e também porque só  18,6% da verba federal, R$ 39,2 mil foram liberadas.

A obra custou até aqui com R$ 80,9 mil,  R$ 36,6 mil liberados em outubro do ano passado pelo Governo Federal e mais a contrapartida do município. A parcela complementar de R$ 157 mil já estaria  disponível, mas o repasse está na dependência dos engenheiros da  Caixa Econômica Federal  homologarem a medição dos serviços executados.

Os mais prejudicados com a suspensão das obras são os moradores da Rua Diogo Cunha onde a terraplanagem (que precede a colocação do  pavimento)   deixou as  calçadas acima do nível da rua, praticamente impedindo o acesso dos carros às garagens.  No período de chuvas se formaram atoleiros que tornaram a via intransitável, um problema adicional ao alagamento das casas, situação que se repete na maior parte do  bairro, onde com a falta de drenagem, a enxurrada  fica empoçada.

Até agora, transcorridos seis meses do início das obras, a prefeitura só concluiu o asfalto de trechos das ruas Nélio Paim (que passa em frente da Unidade Básica de Saúde e do Centro de Educação infantil), Diogo Stefanello  (onde está sendo concluído o meio-fio). Nestas etapas está prevista a pavimentação até a Rua Diogo Cunha (até a Rua Cuiabá) e da Travessa Naru Yokoama onde até agora só foi feita  a terraplanagem.

PROTESTO

O projeto   completo de asfalto e drenagem do Cascatinha  está orçado em R$ 3,8 milhões.  A prefeitura não conseguiu inclui-lo no pacote de obras do PAC (Programa de Aceleração de Crescimento)  destinado as cidades com até 50 mil habitantes.  Os problemas de alagamentos continuarão nas ruas Olivaldo Pereira, Getúlio Pereira de Arruda, Maria Marta do Céu, Antônio Correa da Silva e Martins Fraticke.

A reportagem do Jornal Eletrônico Região News manteve contato com moradores que reclamam da situação. A dona de casa Jorcilene Auxiliadora Lemes Salina de 36 anos que mora na Rua Diogo Cunha, relatou que em dia de chuva fica ilhada em casa, devido ao grande lago que se forma enfrente sua residência.

“A informação que chegou até nós moradores, é de que o prefeito mandou parar a obra, não sabemos ao certo quais os motivos, uns dizem que é por falta de pagamento outros afirmam que a empreiteira irá executar outras obras pela cidade, em fim, o fato é que o sonho da pavimentação asfáltica, se transformou em grande pesadelo”, disse a dona de casa.

Preocupados com a situação, moradores se mobilizam e cobram posição imediata do Prefeito Daltro Fiuza (PMDB) sob ameaça de protesto com queima de pneus e panelaço. Até um abaixo assassinado com mais de 200 assinaturas foi feito no final de semana. Tal documento foi entregue ao vereador Waldemar Acosta (PDT) que deverá manter agenda com o prefeito para discutir o assunto.