Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 25 de Julho de 2024

Sidrolandia

Odilon lidera lista da Justiça Federal para vaga no STF

Campo Grande News

16 de Julho de 2010 - 11:17

Odilon lidera lista da Justiça Federal para vaga no STF
Odilon lidera lista da Justi - Foto: Divulga

O juiz Odilon de Oliveira, da 3ª Vara Federal de Mato Grosso do Sul, conquistou o voto da maioria dos juízes federais do País durante consulta que dará base a lista tríplice que indicará três nomes para uma vaga de ministro no Supremo Tribunal Federal (STF).

A consulta foi realizada pela Associação dos Juízes Federais do Brasil e solicitava participação aos 1.008 magistrados de todas as varas federais do país indicações para a vaga.

Odilon de Oliveira conquistou 67 votos. O segundo colocado, o juiz Fausto de Sanctis, titular da 6ª Vara da Justiça Federal em São Paulo/>, conquistou 62 votos e o segundo lugar.

Com atuações parecidas contra o crime organizado e a lavagem de dinheiro, Odilon de Oliveira e Fausto de Sanctis acumulam processos polêmicos. Odilon combate o tráfico de drogas e ajudou a colocar atrás das grades Fernandinho Beira-Mar. Fausto de Sanctis é o juiz responsável pela operação Satiagraha, que envolve o banqueiro Daniel Dantas.

“É uma satisfação imensa saber dessa consulta. É um reconhecimento pelo nosso trabalho. Fico feliz em saber que o perfil semelhante de trabalho desenvolvido por mim e pelo juiz Fausto de Sanctis refletiu esse reconhecimento”, se surpreendeu Odilon de Oliveira.

Os dez nomes mais votados pela consulta da Ajufe participam de um segundo turno. O resultado dará origem à lista tríplice, que será encaminhada oficialmente ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva como sugestão para sua nona indicação ao STF, em agosto, quando o ministro Eros Grau deixa a corte. Atualmente nenhum dos onze ministros é juiz federal de carreira.

“É importante que juízes de carreira tenham vaga no Supremo Tribunal Federal. Acho que é um anseio da sociedade esse misto de carreiras jurídicas na corte, para que membros do Ministério Público, advogados e juízes federais façam parte do quadro. É um anseio legitimo”, afirmou Odilon.

Polêmica - Apesar do reconhecimento perante os juízes federais, o Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) ingressou na última segunda-feira no CNJ (Conselho Nacional de Justiça) com reclamações disciplinares contra o juiz Odilon de Oliveira.

Para a OAB, o magistrado deu autorizações consideradas "indevidas, ilegais e arbitrárias", para que fossem gravados em áudio e vídeo todos os diálogos entre presos e seus visitantes - inclusive advogados – na penitenciária federal de Campo Grande.