Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 21 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Operação da PF em Ivinhema quebra esquema de fraudes contra o INSS

Campo Grande News

25 de Maio de 2011 - 09:26

A operação Béline, desencadeada nesta quarta-feira pela Polícia Federal, em conjunto com servidores do Ministério da Previdência Social, em Ivinhema, a 283 quilômetros de Campo Grande, desmontou esquema de fraudes contra o INSS que causou prejuízos na ordem de R$ 125,2 mil. No entanto, os valores podem chegar a R$ 1 milhão.

A ação envolveu 30 policiais federais e dois servidores do setor de Inteligência do Ministério da Previdência Social.

Segundo a PF, servidores do INSS tramavam com agenciadores na concessão de benefícios indevidos, repletos de irregularidades.

Entre eles estão ausência de documentação comprobatória de exercício de atividade rural; de guarda dos beneficiários menores de idade, comprovante de união estável com indícios de falsidade, benefícios requeridos após mais de 15 anos do falecimento do segurado, saques dos benefícios em cidades diversas da suposta moradia do beneficiário e dependente inserido nos sistemas do INSS sem possuir esta condição junto ao segurado.

A operação cumpriu oito mandados de busca e apreensão na residência dos investigados, além da própria agência do INSS em Ivinhema. Os policiais também cumpriram mandados na sede do Sindicado dos Trabalhadores Rurais de Novo Horizonte do Sul.

Foram aplicadas pelos policiais federais medidas cautelares como suspensão do exercício profissional do servidor do INSS, proibição de ingresso e aproximação em um raio de 300 metros da agência do INSS, além da proibição dos agenciadores de atuarem como procuradores nos processos concessórios de benefícios previdenciários. Ainda conforme a Federal, o descumprimento das medidas levará prisão preventiva dos investigados.

Béline - Segundo a PF, o nome Béline é uma alusão à personagem do escritor francês Molière, trapaceira e vigarista, que se aproveitava do desconhecimento alheio para auferir vantagem financeira, inclusive, com falsificação de documentos, como os fraudadores em questão.