Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Orçamento de 2013 prevê corte de 16% nos investimentos e de 47% na assistência social

Para manter o mesmo orçamento, sem comprometer as dotações das despesas obrigatórias (salário, saúde, educação), a proposta cortou o orçamento de várias áreas

Flávio Paes/Região News

05 de Dezembro de 2012 - 10:10

O primeiro orçamento que o prefeito eleito Enelvo Felini vai administrar R$ 118 milhões é extremamente conservador porque corresponde ao valor do atua orçamento (R$ 104 milhões) com a suplementação de 13%. No lado da receita projeta um crescimento de 14,28% nos repasses do Fundo de Participação (de R$ 18 para R$ 21 milhões) e de ICMS, 7,14% (de R$ 28 para R$ 30 milhões).

Em relação às despesas, a estimativa de investimento (R$ 11,7 milhões) é 16% menor que a fixada inicialmente para 2012, em R$ 14 milhões, que em junho foi ajustada para R$ 10,1 milhões, mas até outubro só R$ 7 milhões tinha sido executados.

Para manter o mesmo orçamento, sem comprometer as dotações das despesas obrigatórias (salário, saúde, educação), a proposta cortou o orçamento de várias áreas. A projeção de gastos com agricultura (basicamente concentrados na Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural), R$ 2.3 milhões é 60% menor que a deste ano, R$ 3,7 milhões.

Para o urbanismo (serviços de manutenção da malha viária urbana, obras de pavimentação), redução de 26% (de R$ 9,4 milhões para R$ 7 milhões). O setor mais atingido pelos cortes é o da

Assistência Social. O orçamento terá redução de 47,55%, passando de R$ 8 milhes para R$ 5,1 milhões. As secretarias de Educação e Saúde, juntas comprometem 43,49% do orçamento, sendo 18,29% (a Constituição Federal obriga no mínimo 15%) e 25,20% da educação. Os gastos com educação vão comprometer R$ 16.269,750, 00 e os da Saúde, R$ 1.810,00. As despesas com pessoal e encargos sociais, somarão R$ 52.362.000,00, 51,04% da receita líquida.