Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Paranhos recebe recursos para construção de Unidade Básica de Saúde

Conquista é fruto da parceria entre o prefeito Julio Cesar de Souza, o deputado federal Geraldo Resende e o senador Moka

Jaime Mel

11 de Setembro de 2013 - 15:00

A cidade de Paranhos recebeu recursos no valor de R$ 81.6 mil de um total de R$ 408 mil para serem aplicadas na construção de uma Unidade Básica de Saúde na Rua Jorge Pereira, na área central. O pagamento, ocorrido no dia 30 de agosto, é equivalente a 20% total das obras e foi feito pelo Ministério da Saúde. A partir desse pagamento, a Prefeitura já pode dar início as obras. A conquista de Paranhos é resultado de parceria entre o prefeito Júlio Cesar, o deputado Federal Geraldo Resende (PMDB) e o senador Waldemir Moka.

Além de Paranhos, outros 55 municípios foram contemplados com o programa UBS Requalifica. De acordo com a portaria, 29 municípios vão receber recursos para a construção de 46 UBS. Outros 17 municípios foram contemplados com ampliações que juntas somam 38 unidades. Para esta ação o Governo Federal pretende investir R$ 4.041.425,00.

A habilitação de municípios e de projetos para o recebimento de recursos foi divulgada no Diário Oficial da União (DOU) do dia 10 de julho, por meio das portarias 1.380, 1.381 e 1.382.

“Informamos todas as administrações municipais da abertura do programa e solicitamos a apresentação de projetos. Entregamos ao ministro da Saúde Alexandre Padilha e apresentamos a justificativas técnicas sobre a importância dos investimentos. É com alegria que informo os municípios que o dinheiro está na conta”, comemorou o deputado, observando que ampliando essas UBS’s “estaremos recebendo os pacientes com mais qualidade. A UBS é a porta de entrada da saúde pública. É a saúde mais perto das famílias”, afirma o parlamentar.

Também estão previstos o investimento de R$ 10 milhões para a reforma de 63 postos de saúde, distribuídas em 26 municípios. “Priorizamos recursos para a atenção básica, porque sabemos que 80% das doenças podem ser tratadas neste ambiente”, explicou Resende, que também é médico.