Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 3 de Julho de 2022

Sidrolandia

Pastor dirigente chega com 1h de atraso, barra imprensa e blinda Claudio Duarte de fiéis

Nem a forte chuva que caiu na tarde desta quinta-feira, dia 5, foi capaz de intimidar o público que lotou as dependências da Igreja Assembleia Missões.

Marcos Tomé/Região News

05 de Novembro de 2015 - 22:43

A rápida passagem do pastor Claudio Duarte por Sidrolândia, inegavelmente foi um sucesso de público. Todos os convites colocados à venda se esgotaram bem antes de iniciar o evento, marcado para as 14h30. Nem a forte chuva que caiu na tarde desta quinta-feira, dia 5, foi capaz de intimidar o público que lotou as dependências da Igreja Assembleia Missões.

A Polícia Militar teve de ser acionada para orientar o trânsito nas imediações do templo para evitar acidentes. Tudo parecia dentro das normalidades, não fosse à indiferença do pastor Anderson Ventura, líder religioso e anfitrião do evento. Sob sua tutela, Claudio Duarte chegou ao local com quase 1h de atraso.

Como não bastasse a demora, quem foi até a igreja para ver e ouvir o “pastor cheio de graça”, foi impedido de fazer um registro fotográfico. Logo que encerrou sua pregação, Claudio Duarte foi retirado do templo às pressas pelo pastor que alegou atraso na agenda. “Meus irmãos olha, nos perdoem, mais temos que ir”, anunciou Ventura a um público que insistia em levar para casa uma recordação ao lado do convidado.

“Fiquei muito decepcionada. Insisti pra tirar uma foto com ele, mas fui impedida. Já que havia atraso na agenda, porque não chegaram no horário anunciado?”, questionou uma empresária que nunca tinha ido à igreja. Pastores de diversas denominações que prestigiavam o ato religioso, se quer, foram lembrados pela organização. Até a imprensa foi barrada na entrada do templo.

Pastor dirigente chega com 1h de atraso, barra imprensa e blinda Claudio Duarte de fiéisQuem foi assistir a pregação de Duarte, teve de pagar R$ 10,00, pelo convite, receita incrementada com a venda de água mineral e refrigerantes. Num telão fixado sobre o altar, ao invés de boas vindas aos fiéis e convidados, exibia uma tabela de preços da cantina. Quem matou a sede com uma coca cola mini, por exemplo, teve de desembolsar R$ 2,50, valor bem acima do praticado nas conveniências, que varia entre R$ 1,25 e R$ 1,50.

A impressa foi proibida de fazer qualquer registro fotográfico ou filmagem do evento, ao menos foi esta a orientação dada aos colaboradores que cumpriam ordens expressas do pastor Anderson Ventura. “Vocês não podem filmar nada aqui, nem tirar foto”, disse uma mulher que recolhia os convites na porta de acesso ao templo.

Mesmo diante a um forte esquema de blindagem, semelhante de uma artista de renome, a reportagem do RN furou o bloqueio e conseguiu chegar até Claudio Duarte, um homem simples, carismático que parecia desconhecer os bastidores de sua vinda a Sidrolândia. No púbico ele encantou os presentes, arrancou risos e muitas gargalhadas quando tratou de questões familiares, principalmente da vida a dois. Assista os 49 segundos de uma rápida entrevista concedida ao RN.