Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Maio de 2021

Sidrolandia

Pauta dos combustíveis: Sefaz explica que preço é definido por revendedores

No sistema de comércio livre, os preços oscilam de acordo com a lei da oferta e da procura.

Notícias MS

28 de Dezembro de 2016 - 09:44

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Fazenda, informa que a pauta fiscal que baliza a tributação leva em conta a apuração dos preços dos combustíveis praticados pelos revendedores. No sistema de comércio livre, os preços oscilam de acordo com a lei da oferta e da procura.

Segundo o secretário de Fazenda, Marcio Monteiro, a média de preços no Estado é calculada pelos servidores da Sefaz. “Nós atualizamos a pauta (preço), isto é, vamos lá ao posto coletar na bomba o preço da gasolina, álcool e diesel, preenchendo uma planilha atestada pelo revendedor. Com base nos valores praticados na rede de postos calculamos a média de preço. Essa é a pauta. Agora, o preço na bomba é de responsabilidade dos revendedores, não cabe à Sefaz tabelar preços”, explicou Monteiro.

Conforme Monteiro, muitas vezes os comerciantes vendem os combustíveis com valores acima do preço médio (pauta), para recolher menos impostos e ter lucro maior.

“Querem vender a mais do que a pauta. O comércio precisa ter a responsabilidade de pagar o valor do tributo sobre o preço real daquilo que vende e não dizer que o preço vai aumentar porque o Estado aumentou a pauta. Isso não é verdade porque o preço quem regula é o mercado. A alíquota do ICMS continua a mesma”, disse o secretário.

A alíquota do ICMS cobrado no Mato Grosso do Sul não mudou. Está mantém o mesmo percentual: 25% sobre a gasolina e álcool, 17% sobre o diesel. O GNV (Gás Natural Veicular) tem incidência de 12%. Em números aproximados são comercializados 135 milhões de litros de diesel, 53 milhões de litros de gasolina e 17 milhões de litros de álcool por mês em todo o Estado.