Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 25 de Maio de 2022

Sidrolandia

Pesquisa testa cerveja sem álcool para ver até que ponto elas fazem efeito

Mas há a opção para quem não pode ou não gosta de tomar álcool, a cerveja sem álcool

Campo Grande News

19 de Outubro de 2015 - 16:29

Quem bebe uma cervejinha sabe que ela causa diversas consequências para os motoristas, desde a diminuição das capacidades mentais, que atrapalham na hora dirigir, além de dar uma multa bem cara, caso caia numa blitz da Lei Seca (custa R$ 1.915, além do autuado ter a habilitação recolhida, suspensão do direito de dirigir por 12 meses e retenção do veículo).

Mas há a opção para quem não pode ou não gosta de tomar álcool, a cerveja sem álcool. Nos bares ela não é a que mais faz sucesso, mas, principalmente nos finais de semana, ela tem uma boa saída. “Tem dia em que ela nem é pedida, mas quando tem grande fluxo de clientes até vende bastante”, afirma Valéria, atendente do Mercearia Bar.

Mesmo ela sendo chamada de não alcoólica, em algumas marcas a substância não está 100% erradicada. A Colônia tem 0,2%, a Erdinger 0,4%, a Paulaner 0,4% e a Schneider Weisse Tap 3 0,3%.

“Aqui nós temos três marcas, a Erdinger, a Brahma Zero e a Itaipava Zero. Geralmente quem as pede está com amigos que estão bebendo com outros que tomam a cerveja normal”, pontua.

Ainda assim os motoristas de plantão que só pedem alguma dessas podem ficar tranqüilos, pois para uma cerveja ser considerada sem álcool ela tem que conter até 0,5%. E o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) avaliou as marcas citadas acima e outras seis, que realmente tem 0% de álcool, para verificar se esse consumidor pode ser responsabilizado pelos critérios da Lei Seca.

Para cada marca de cerveja foram selecionados quatro voluntários, entre homens e mulheres com perfis variados em relação ao consumo de álcool, com avaliação dos resultados 15 e 30 minutos após a ingestão.

E a notícia é boa: todos os consumidores passaram no teste do bafômetro sem acusar nenhuma quantidade de álcool. Logo, a ingestão moderada desse tipo de produto não provoca alteração no teste do bafômetro e pode ser considerado como não alcoólico.