Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Julho de 2021

Sidrolandia

Pesquisadores desenvolvem sensor de tempestade

As tempestades são formadas por causa das altas temperaturas em contato com a massa de ar fria que vem da Amazônia ou pelas frentes frias que chegam do sul

Correio do Estado

03 de Novembro de 2014 - 09:09

Basta chegar à primavera que a temporada de raios chega a Mato Grosso do Sul. A localização geográfica do Estado faz com que ele esteja na região que mais cai raios no País, que ficam no Sudeste e Centro-Oeste. As tempestades são formadas por causa das altas temperaturas em contato com a massa de ar fria que vem da Amazônia ou pelas frentes frias que chegam do sul. 

Para compreender melhor sua incidência e usar isso a favor da sociedade, o doutor em física, Moacir Lacerda, 58 anos, criou com seus alunos de física e engenharia elétrica da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), juntamente com um técnico de eletrônica, sensores de tempestades. “O nosso objetivo é evitar que o primeiro raio caia e provoque a morte de pessoas ou perdas materiais”, justifica.

Já na terceira geração de sensores, o aparelho está ganhando ares de tecnologia de ponta. Feito, inacreditavelmente, com uma leiteira de alumínio, que protege todo o sistema, ele transmite as informações do tempo a cada segundo, via rádio, celular, satélite e até pela internet 3G. Os aparelhos serão fundamentais para o Sistema de Alerta de Queda de Raios, que Moacir quer implantar no Laboratório de Ciências Atmosféricas da universidade no primeiro semestre de 2015. “Isso ninguém tem no mundo”, acrescenta.