Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 1 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Policia Federal espera receber hoje laudo de Brasília sobre a morte de Oziel

O delegado Mário Paulo Machado Nomoto, responsável pelo caso, depende deste laudo para finalizar o inquérito que investiga a morte do indígena.

Flávio Paes/Região News

23 de Julho de 2013 - 08:54

A Polícia Federal espera para hoje (23) o laudo da perícia realizada no corpo do índio Oziel Gabriel, 35 anos, morto durante ação de reintegração de posse da Fazenda Buriti, em Sidrolândia, no dia 30 de maio deste ano. O delegado Mário Paulo Machado Nomoto, responsável pelo caso, depende deste laudo para finalizar o inquérito que investiga a morte do indígena.

A necropsia realizada em Sidrolândia, pelo legista Volnei Pereira, não identificou o calibre da bala que matou o terena porque o projétil atravessou o corpo da vítima  e não foi localizado. O laudo concluiu que a bala atingiu o terena no abdômen, atingiu o fígado e transfixou-se, saindo nas costas.

O calibre da bala que matou Oziel é vital para determinar quem atirou nele. Os índios, inclusive um dos filhos da vítima, que testemunhou quando o pai foi baleado, nos depoimentos que prestaram ao delegado, sustentam a versão de que um agente atirou contra o terena. Em entrevista ao Região News, o delegado Nomoto, considerou muito difícil identificar quem matou o terena já que a bala não foi localizada. 

O velório de Oziel foi adiado e seu corpo foi levado para Campo Grande, sexta-feira à noite, dia 1°de junho, para que fosse feita esta uma nova necropsia que a Polícia aguarda o resultado. Vieram de Brasília um legista da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e um especialista da Polícia Federal para realizar o procedimento.

Na primeira semana de julho, o delegado Namoto pediu à Justiça Federal que concedesse prazo de mais 60 dias para a conclusão do inquérito, que vence no mês de setembro. A informação da polícia, no entanto, é que se pretende encerrar a investigação antes disso.