Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 22 de Julho de 2024

Sidrolandia

Polícia ouve hoje a ex-namorada do goleiro Bruno

Polícia ouve hoje a ex-namorada do goleiro Bruno

Folha Press

19 de Julho de 2010 - 10:55

A Polícia Civil mineira vai ouvir a partir de hoje (19) Fernanda Gomes Castro, ex-namorada do goleiro Bruno que pode ter auxiliado no cárcere privado e no transporte de Eliza Samudio para Minas. Também ex-namorada do jogador, Eliza está desaparecida. Bruno é apontado como o principal suspeito.

Fernanda está desde anteontem em Belo Horizonte e tem recebido o apoio do advogado Ércio Quaresma, o mesmo que já defende Bruno e outros cinco supostos envolvidos no crime. A polícia diz que Fernanda ajudou a cuidar do bebê de Eliza nos dias 4 e 5 de junho, quando Eliza foi levada para a casa do jogador no Rio.

No dia 5, Eliza e o bebê foram levados em uma Range Rover para Minas por um primo adolescente de Bruno e por Luiz Henrique Romão, o “Macarrão”, braço direito do goleiro. Fernanda seguiu junto com Bruno em uma BMW, diz a polícia.

As informações se baseiam nos depoimentos do adolescente e de Sérgio Rosa Sales, o “Camelo”, também primo do jogador.

A polícia não decidiu se vai indiciar a ex-namorada e ainda pretende ouvi-la como testemunha. “Precisamos tomar o depoimento dela para saber qual foi a intenção dela, para saber se ela sabia de todo esse plano [de matar Eliza]’’, disse a delegada Alessandra Wilke.

A polícia também pretende ouvir esta semana Bruno e “Macarrão”, personagens centrais da investigação que tem se mantido em silêncio. A polícia já fala também em concluir o inquérito. Nesta semana, sai o resultado do exame de DNA que definirá se é de Eliza o sangue encontrado em um colchão do sítio do goleiro.

A juíza Marixa Rodrigues, do Tribunal do Júri de Contagem, pode julgar hoje um mandado de segurança contra o delegado Edson Moreira, que comanda o Departamento de Investigações. O mandado é de autoria do advogado Zanone Oliveira, que representa Marcos Aparecido dos Santos, o “Bola”, suspeito de matar Eliza. O defensor reclama que seu cliente tem sido levado várias vezes para depor e deixado horas esperando, mesmo que fique calado.

DÚVIDA

Após três semanas de investigação, a polícia afirma acreditar que a ex-namorada do goleiro Bruno Fernandes foi assassinada com participação do jogador.

A dúvida é se ele estava na cena do crime - na casa em Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte, onde Eliza Samudio teria sido estrangulada e esquartejada.

A defesa do goleiro afirma que o jogador é inocente e não há corpo da ex-namorada para comprovar que tenha havido um crime. Eliza é mãe de um bebê de cinco meses, cujo pai seria o jogador. Ela teria sido morta por sua insistência para que Bruno reconhecesse a criança e lhe pagasse uma pensão. A polícia se baseia principalmente em depoimentos de dois primos do jogador relatando como Eliza foi sequestrada e morta.

O outro primo do goleiro, um adolescente de 17 anos, diz que levou Eliza junto com Sérgio e “Macarrão” até a casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o “Bola”. No local, Santos teria sufocado a ex-namorada do goleiro e arremessado partes do seu corpo a cães rottweillers.