Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 24 de Junho de 2021

Sidrolandia

Posto 24 horas vai funcionar só até a meia-noite a partir de domingo, dia 1º

Embora o prefeito Ari Basso tenha informado que o fechamento do posto ainda está sendo avaliada, a Secretaria de Saúde já adotou providencias para implantar a mudança

Flávio Paes/Região News

29 de Agosto de 2013 - 08:56

A Unidade Central de Saúde Acelino Roberto Ferreira, a partir de domingo, dia 1º de setembro, só vai funcionar até a meia-noite. A decisão foi tomada pela Secretaria Municipal de Saúde depois de avaliar que o número de atendimentos durante a madrugada (basicamente consultas) não justificava manter uma estrutura cara, com médico, enfermeira, dois técnicos de enfermagem, recepcionista, vigia,  das 18 horas até as 6 horas da manhã

A população, nos casos de urgência e emergência, terá de recorrer ao Hospital Elmiria Silvério Barbosa, que já enfrenta dificuldades e cobra a contratação de um segundo médico plantonista. “Quando há pacientes encaminhadas na vaga zero para Campo Grande, por exemplo, (quando se exige o acompanhamento do médico) o hospital fica desguarnecido até ele voltar”, relata Jair Nascimento, presidente da entidade mantenedora do hospital.

Ele diz que não é todo dia que se consegue convencer algum profissional residente na cidade a fazer um plantão de última hora. Embora o prefeito Ari Basso tenha informado que o fechamento do posto ainda está sendo avaliado, a Secretaria de Saúde já adotou providencias para implantar a mudança.

Nesta quinta-feira os funcionários já receberam a escala do final semana e no domingo o expediente só vai mesmo até a meia-noite, com reabertura do posto ás 6 horas da manhã da segunda-feira. A Unidade Central não tem  estrutura para absorver casos de urgência e emergência, mesmo com uma fratura simples.

Não dispõe, por exemplo, de um raio-x, em compensação, permite reidratar o paciente debilidade.  Exames, como hemograma, só podem ser feitos durante o dia, até porque, em muitos casos é necessário estar em jejum. São comuns casos de pessoas que chegam de madrugada para se consultar, o médico requisita o exame e o paciente acaba tendo de ficar o restante da madrugada esperando até a manhã seguinte para fazer a coleta. Se tiver sintomas mais graves (febre alta, vômitos) é encaminhado para o hospital. 

Com isto a Unidade Central serve muito mais para atender de forma mais rápida a demandas de consultas não absorvidas pelas unidades básicas de saúde onde funciona o sistema de agendamento de segunda a sexta-feira, entre 7 horas da manhã e 5 da tarde. 

O maior gargalo é na pediatria porque só há quatro médicos e nem todos os dias estão de plantão. São 20 senhas diárias (10 para cada período do dia) que começam a ser distribuídas às 6 horas da manhã e com isto, é preciso madrugar para conseguir o agendamento. A noite só ficam clínicos gerais de plantão.