Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Prefeito Manoel José Martins decreta luto de três dias pela morte de vereadora reeleita

A Câmara Municipal transferiu a sessão desta segunda-feira para quinta-feira, às 19h, ocasião em que dará posse ao suplente João Pereira da Silva.

Campo Grande News

26 de Novembro de 2012 - 09:34

O prefeito de Deodápolis, Manoel José Martins (PSDB), decretou luto oficial por três dias no município pela morte da vereadora Maria Alves de Assis de Souza (PSDB), 37 anos, ocorrida na noite de sábado em um acidente na MS-276. O corpo da vereadora, conhecida como Cida Alves, foi sepultado nesta manhã no Cemitério Municipal.

A Câmara Municipal transferiu a sessão desta segunda-feira para quinta-feira, às 19h, ocasião em que dará posse ao suplente João Pereira da Silva.

Cida estava com o marido, Edson Paulino, em uma caminhonete S 10, que saiu da pista e capotou. Ela foi lançada para fora do veículo e o marido, que conduzia o veícuulo, sofreu apenas escoriações leves e não soube explicar o que motivou o acidente. Cida chegou a ser atendida no local e os socorristas tentaram reanimá-la, mas não tiveram êxito. Levada para o Hospital Municipal Cristo Rei, ela já chegou morta. Ela deixa o esposo e três filhas.

Reeleita no dia 7 de outubro, Cida cumpriria seu terceiro mandato. Denúncias de compra de voto em troca de consultas médicas, levaram a Justiça a cassar seu mandato em primeira instância. Condenada a pagar multa no valor de R$ 31 mil, além de ficar inelegível por oito anos, ela recorreu em segunda instância.

De acordo com o vereador Márcio Teles Pereira (PSD), 1º secretário da Câmara, o julgamento deve ocorrer até o dia 10 de dezembro. Segundo Márcio, o 1º suplente de Cida, João Pereira da Silva, o popular Cícero Tanajura, será convocado para assumir. “O Cícero deverá comparecer a sessão de quinta-feira e ele será empossado sem nenhum problema”.

O vereador Márcio Teles coordenou a campanha da prefeita eleita Maria das Dores Oliveira Viana (PT), chegou a disputar a reeleição, mas não foi eleito. “Como eu coordenei a campanha da prefeita, não me empenhei muito. Mesmo assim tive alguns votos”, explica. Votos suficientes que lhe garantiram a primeira suplência.

Márcio acredita que, como Cida morreu, o processo deva ser extinto. Se isso ocorrer ou ainda ficar decidido que os votos obtidos por Cida sejam computados para a legenda, quem assume em seu lugar no próximo exercício é o próprio Cícero, que é o primeiro suplente. Na hipótese de que os votos sejam anulados, quem assumirá é ele mesmo.

Se isso acontecer, o vereador garante que é bem provável que renuncie, porque prefere assumir o cargo de secretário municipal de saúde a partir de janeiro, quando assume a prefeita eleita. Nesse caso, quem assumiria seria o segundo suplente, Antônio Anselmo Junior.

“Mas acho muito difícil que o Cícero não assuma, porque com a morte de Cida, tudo se encaminha pela extinção do processo. E acho bom que o Cícero assuma, é uma pessoa batalhadora e que merece”, disse Márcio.

O prefeito Manoel José Martins também decretou luto oficial pelo falecimento de dona Maria Ferreira da Silva, que faleceu no sábado aos 77 anos e foi sepultada ontem no cemitério municipal. Conhecida como dona Meirinha, ela era esposa do fundador da cidade, Deodato Leonardo da Silva.