Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 18 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Prefeito vai receber comissão de servidores ainda sem proposta de reajuste

Nesta segunda-feira os servidores promoveram uma manhã de paralisação, com passeata, apitaço e palavras de ordem contra a administração municipal.

Flávio Paes/Região News

09 de Setembro de 2013 - 20:52

Foto: Rafael Brites/Região News

Prefeito vai receber comissão de servidores ainda sem proposta de reajuste

Embora em princípio mantenha a decisão de não conceder reajuste salarial neste ano, o prefeito  de Sidrolândia, Ari Basso, vai receber nesta terça-feira às 7h30 uma comissão de 12 servidores que representam os diferentes segmentos do funcionalismo para apresentar um estudo detalhado sobre as finanças da Prefeitura.

Nesta segunda-feira os servidores promoveram uma manhã de paralisação, com passeata,  apitaço e palavras de ordem contra a administração municipal. Eles chegaram a ensaiar uma invasão ao Paço Municipal e rejeitaram  se reunir com os secretários municipais, exigindo uma conversa direta com o prefeito que estava em Campo Grande em agendas oficiais.

O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Idemar Marcos Aquino, espera que nesta reunião apresente alguma proposta de reajuste salarial. A expectativa do sindicalista é que esta terceira conversa com o chefe do Executivo Municipal não apenas para ele mais vez mostrar a impossibilidade de melhorias salariais ao funcionalismo por causa das dificuldades  financeiras da Prefeitura.

“Vamos ouvir o que o prefeito tem dizer e a partir daí, a categoria voltará se reunir para definir os rumos do movimento”, informa. Pelos cálculos de Idemar 250 funcionários participaram da mobilização desta segunda-feira. Na Secretaria de Infraestrutura, pelo menos 50 funcionários não trabalharam pela manhã e o serviço de manutenção da cidade não foi feito.

Houve adesões do pessoal da Saúde que teve suspender alguns atendimentos prestados no Centro  de Especialidades Médicas. Os servidores reivindicam 12% de reajuste, percentual que corresponde à inflação acumulado  dos últimos dois anos.