Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Prefeitura espera R$ 13 milhões do PAC para asfaltar 90% da área urbana da cidade

Segundo o coordenador de Planejamento, Márcio Marquetti, a proposta contempla dois projetos amplos.

Flávio Paes/Região News

01 de Julho de 2013 - 08:09

O prefeito Ari Basso (PSDB) aguarda a aprovação do Ministério das Cidades  de um pedido de financiamento no valor de R$ 13 milhões para custear obras de infraestrutura que vão garantir a pavimentação de 90% do perímetro urbano da cidade, promessa apresentada na campanha eleitoral.

Os projetos foram cadastrados para habilitação aos recursos do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) reservado às cidades com até 50 mil habitantes, do mesmo porte de Sidrolândia. Segundo o coordenador de Planejamento, Márcio Marquetti, a proposta contempla dois projetos amplos.

Um deles, no valor de R$ 6,9 milhões, prevê a pavimentação do Grande São Bento, abrangendo bairros como o São Bento, Pindorama, Diva Nantes, parte do Jardim Paraíso, Sidrolar.  O outro atende aos bairros da parte alta, incluindo Cascartinha (onde é necessário um investimento pesado em drenagem), Jardim do Sul, Jardim Alfa e Santa Marta.

O assessor executivo, Enelvo Felini, admite que nem todos estes recursos serão aprovados, afinal, Sidrolândia, concorre com mais de 5 mil municípios de todo o País. O montante a ser autorizado dependerá da capacidade de endividamento da Prefeitura que está sendo avaliada pelo Governo Federal. Os recursos não são a fundo perdido, sairão de um empréstimo da Caixa Econômica, embora com juros menores que os praticados pelo mercado.

Esta é a segunda vez que o Ministério das Cidades abre habilitação para cidades do porte de Sidrolândia captarem financiamento da Caixa para obras de infraestrutura. A atual administração optou por ignorar os projetos inscritos ano passado e que não saírem do papel porque na época o Governo Federal excluiu do PAC as cidades menores.

Houve pressão da base aliada no Congresso Nacional e a presidente Dilma Rousseff voltou a atrás e resolver contemplar municípios de pequeno porte. A gestão passada inscreveu duas obras orçadas em R$ 11 milhões aproximadamente. Previa a abertura de duas avenidas, somando 10 quilômetros de extensão, nas saídas da cidade, que serviriam como anel viário.

Na saída para Campo Grande, o projeto é o prolongamento da Rua Mato Grosso, contornando o Parque de Exposição, terminando na BR-060. O trajeto garantiria acesso a MS-162 (saída para Quebra Coco) e a de Maracaju, sem necessidade de atravessar a área central. No outro extremo, o projeto abriria uma avenida que ligaria o Sidrolar, nos fundos do Bairro São Bento com a saída para Maracaju e Nioaque.