Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 28 de Novembro de 2020

Sidrolandia

Prefeitura precisaria gastar R$ 1,4 milhão em locação para ter estrutura de conservação das estradas

Este é o valor apurado no pregão presencial realizado no último dia 05 para registro de preços que computa o aluguel dos equipamentos.

Flávio Paes/Região News

18 de Agosto de 2014 - 07:42

A Prefeitura de Sidrolândia precisaria gastar nos próximos 12 meses mais de R$ 1,4 milhão na locação de caminhões e equipamentos. Este é o valor apurado no pregão presencial realizado no último dia 05 para registro de preços que computa o aluguel dos equipamentos, mas também os custos com mão de obra, óleo diesel e manutenção.

Dos seis itens cotados, em três (o do caminhão munk toco, do comboio toco e de uma retro escavadeira) não apareceram empresas interessadas em registrar preços. Segundo o secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Antônio Galdino, este pregão foi realizado para garantir agilidade no processo de locação, diante de uma situação emergencial ou se houver disponibilidade financeira para reforçar o atual parque rodoviário.

http://i.imgur.com/FnqdYBK.jpg“Muitas vezes o serviço fica parado muito tempo enquanto não se faz o conserto da máquina estragada, que nem sempre é feito na Capital, por falta de peças ou de mecânica especializada”, explica o secretário. Isto aconteceu recentemente com o trator de esteira, que é usado também na compactação do lixo amontoado no lixão.

“Na semana que seria iniciada a manutenção das estradas na região do Assentamento Vista Alegre, quebrou a peça de uma máquina e o serviço teve de ser adiado”, lembra o vereador Waldemar Acosta, que defende a reserva de recursos no orçamento de 2015 para renovar o parque rodoviário.

Atualmente a Secretaria só dispõe de sete motoniveladoras; duas pás-carregadeiras e cinco caminhões. Gasta em média R$ 40 mil por mês com combustível e R$ 30 mil só com a manutenção dos caminhões e máquinas. “Precisaríamos ter pelo menos o dobro desta estrutura para atender as necessidades“, comenta o secretário.

Conforme o registro de preços concluído pela Prefeitura, a Marpav Construções e Comércio Ltda, se propôs a alugar por um ano, 10 caminhões truck caçamba (com motorista, combustível e manutenção), cobrando R$ 983.640,00 (R$ 117,00 a hora) por 700 horas de locação. A Negrimaq Comércio de Máquinas e Construção, venceu a disputa pela locação do item 5 (uma carreta com prancha para o transporte de máquinas de até 23 toneladas) cobrando R$ 57.360,00 por 480 horas de aluguel ao longo de um ano.

Já a Comercial de Peças para Agropecuária, arrematou o lote seis (aluguel de uma escavadeira hidráulica), com a proposta de alugar o equipamento por 2.400 horas, ao preço de R$ 364.800,00. A Prefeitura calcula que seria necessário um investimento de R$ 27 milhões na abertura de travessões e a conservação de 782 quilômetros de estradas vicinais nos assentamentos.  

http://i.imgur.com/52IoGNx.jpgOs projetos foram encaminhados ao Incra divididos em quatro propostas. A de número 037.047/2014, por exemplo, prevê a destinação de R$ 3.673.186,18, para implantação de 29 quilômetros e recuperação de sete quilômetros de estradas vicinais e acesso ao recém-criado assentamento Nazaré, localizado a mais de 70 quilômetros da área urbana, na tríplice divisa de Sidrolândia, Campo Grande e Nova Alvorada do Sul. 

O recurso garantiria ainda a manutenção de 55 quilômetros de estradas vicinais e o acesso aos assentamentos Geraldo Garcia e Santa Lucia. Uma das estradas projetadas é a de ligação entre o Nazaré é o Assentamento Alambari, para reduzir em pelo menos 30 quilômetros o acesso destas famílias a cidade. 

Hoje os assentados (que na realidade estão só acampados desde dezembro na sede da propriedade com aval do Incra), para vir a Sidrolândia tem que recorrer a BR-163, entrar na MS-258, para então, chegar a região do Capão Seco e enfim, atingir a BR-060 e chegar ao centro da cidade.

O segundo projeto, com orçamento de R$ 4.256.720,82, seria voltado para recuperar 131 quilômetros de vicinais nos assentamentos Barra Nova, Estrela, Santa Terezinha, Vista Alegre e Valinhos. Uma parcela de R$ 5.915.257,13 dos recursos pleiteados pela Prefeitura junto ao Incra, garantiria 182 quilômetros de obras viárias nos assentamentos Capão Bonito, São Pedro e Vacaria. A maioria dos investimentos solicitados, no valor de R$ 12,2 milhões, atenderia com melhores estradas vicinais o complexo Eldorado, abrangendo Eldorado II, Eldorado Parte, Alambari e Jibóia.