Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 3 de Julho de 2022

Sidrolandia

Prefeitura retira transporte da Associação Campesina e assume o serviço até dezembro

Só serão transportados os alunos beneficiados com a subvenção. Os estudantes que pagavam R$ 275,00 de mensalidade pelo serviço terão de buscar seus próprios meios para viajarem.

Flávio Paes/Região News

11 de Novembro de 2015 - 08:53

Diante do iminente colapso do transporte universitário, a Prefeitura destituiu a Associação dos Estudantes Campesinos do gerenciamento do serviço que até sexta-feira será feito com cinco ônibus do transporte escolar (da frota própria) e dois ônibus fretados junto à Vacaria Transporte.

A decisão foi tomada agora pela manhã numa reunião do prefeito Ari Basso (PSDB) com o presidente da Câmara David Olindo (PDT). Só serão transportados os alunos beneficiados com a subvenção. Os estudantes que pagavam R$ 275,00 de mensalidade pelo serviço terão de buscar seus próprios meios para viajarem até Campo Grande, onde estudam.

Nos próximos três dias, os estudantes terão de procurar a Secretaria Municipal de Assistência Social para atualizar seus cadastros. Até sexta-feira será encontrada uma saída jurídica para a própria Prefeitura contratar e pagar os ônibus até o final do ano letivo. A partir de 2016, será adotado um modelo de gestão semelhante ao de Maracaju, onde há uma entidade constituída pelos estudantes que administra o serviço.

Em menos de um ano sob a gestão da Associação dos Estudantes Campesinos, três empresas (Monte Sião, Seriema e Guimarães Transportes) desistiram de prestar o serviço alegando falta de pagamento. Só para a Seriema e a Guimarães, a dívida da entidade e dos estudantes (ano passado a subvenção era repassada na conta deles) passa de R$ 600 mil e está sendo cobrada judicialmente.  

A presidente da entidade (Maria Nazareth) sempre atribuiu a inadimplência aos atrasos nos repasses por parte da Prefeitura. Segundo informações da Secretaria de Administração e Finanças, só o mês outubro está em atraso e será pago até o dia 20 deste mês. O transporte custa ao município aproximadamente R$ 150 mil por mês.