Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Prefeitura suspende remoção de entulhos e alerta população para risco de multa

A advertência se aplica também a quem usar às calçadas para depositar areia e pedra usadas nas construções.

Flávio Paes/Região News

22 de Setembro de 2013 - 19:29

Foto: Franciane Trindade/Região News

Prefeitura suspende remoção de entulhos e alerta população para risco de multa

No detalhe o comunicado da Prefeitura

Desde a semana passada funcionários da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos estão distribuindo um comunicado de casa em casa nos bairros mais populosos com a informação de que a Prefeitura não fará mais a remoção de entulhos, galhos de arvores podadas dos quintais.

Os proprietários de imóveis que deixarem este tipo de material nas calçadas ou obstruindo as ruas estarão sujeitos a multas que variam de 4 a 8 Unidades Fiscais (UFIS), entre R$ 53,20 e R$ 106,40. A advertência se aplica também a quem usar às calçadas para depositar areia e pedra usadas nas suas construções. A penalidade toma como base o artigo 214 da lei complementar 432 de 1978, do Código de Postura.

Atualmente a Prefeitura paga R$ 7.300,00 por mês ao proprietário de um caminhão que faz este serviço que ao longo dos últimos anos era feito sem distinguir entre galhos e troncos de árvores podadas para desobstruir a passagem da rede elétrica ou deixados nas calçadas pelos moradores quando limpavam os quintais das suas residências.

Este hábito durante a recente campanha eleitoral se acentuou quando foram feitos mutirões de limpeza da cidade com uso de pessoal, caminhões e máquinas cedidas por empresários aliados do PSDB que na época fizeram um trabalho voluntário, sem nenhum custo aos cofres públicos na retirada deste tipo de material.

Na sexta-feira à tarde, por exemplo, o trabalho estava sendo feito no Bairro São Bento, região da Praça do Carandazal, onde a Enersul há algumas semanas vem cortando galhos numa ação preventiva para evitar curto-circuito na rede de energia elétrica. Algumas quadras acima, na Rua Evaristo de Macedo, um morador (nas proximidades do estádio municipal) cortou os galhos do pé de manga que ameaçava sua casa e jogou na rua, obstruindo a calçada e parte da rua (foto).

“Ele cortou a mangueira depois que viu a Enersul fazer poda das arvores da rua. Certamente esperava que a Prefeitura levasse tudo”.