Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 12 de Julho de 2024

Sidrolandia

Presidente confirma e põe ponto final na briga de Wesley e Robinho

O dirigente falou sobre o desentendimento durante a entrevista coletiva de apresentação do atacante Keirrison, no CT Rei Pelé.

Gazeta Press

19 de Julho de 2010 - 16:23

A briga entre o meia Wesley e o atacante Robinho, que havia sido negada pelo meio-campista e pelo técnico Dorival Júnior, após a derrota para o Fluminense, neste domingo, na Vila Belmiro, foi confirmada pelo presidente do Santos, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, nesta segunda-feira. O dirigente falou sobre o desentendimento durante a entrevista coletiva de apresentação do atacante Keirrison, no CT Rei Pelé.

Tratando o episódio como algo normal dentro do ambiente de um time de
futebol, o mandatário santista procurou minimizar o ocorrido e tratou também de colocar um ponto final na polêmica. "Tudo tem sido objeto de interesse. E imagino que a relevância que se dá a episódios corriqueiros é em função da importância que o Santos tem atualmente no cenário nacional", disse.

"Em um elenco de jovens no auge de sua capacidade física, é natural que nesse grupo, com características de gostar de brincadeira, aconteçam umas coisas que podem não ser bem aceitas de um lado ou do outro. Mas no espírito do grupo, isso é absolutamente irrelevante. Durante a partida os dois jogaram juntos, sem deixar de tocar a bola um para o outro. Esse episódio foi superado e as declarações dos próprios atletas, negando esse tipo de confusão, demonstraram isso", comentou.

O desentendimento entre Wesley e
Robinho teria acontecido no domingo, momentos antes de o Peixe deixar a concentração no Hotel Recanto dos Alvinegros, no CT Rei Pelé, para o duelo com o Tricolor das Laranjeiras.

Tudo teria começado com uma brincadeira em que o Rei das Pedaladas teria quebrado, acidentalmente, o telefone celular de Wesley. Irritado, o meia teria dado o troco, quebrando um dos espelhos retrovisores do carro de
Robinho, no estacionamento do hotel. Daí, a confusão foi armada e os jogadores trataram de apartar a briga. Depois, o próprio elenco pediu aos dois que fizessem as pazes. Com um abraço, Wesley e Robinho teriam encerrado o problema.

"É mais ou menos como imaginar um casal discutindo por causa da crocância da batata frita. Não é uma crise conjugal. Não é por isso que vai ter separação. Por isso, digo que esse episódio não tem importância nenhuma na história do Santos", finalizou Oliveira Ribeiro.