Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 1 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Produtor segura milho safrinha na expectativa que preço melhore

Sidrolândia atingiu uma produtividade média de 73 sacas por hectare, o município colheu 591.300 toneladas em 110 mil hectares cultivados.

Flávio Paes/Região News

18 de Setembro de 2013 - 07:36

Embora não haja uma estimativa oficial sobre o volume de comercialização já atingido, o fato é que aproximadamente 60% da produção do milho safrinha colhida neste ano em Sidrolândia está retido nas unidades de armazenagens da cidade. Só numa cerealista (a Anzibas) 58% da produção recebida (1,2 milhão de sacas) 700 mil sacas ainda permanecem armazenadas.

“Muita gente usou o dinheiro obtido com a venda da soja para pagar as contas do milho e agora espera que o preço chegue pelo menos a R$ 20,00 para desovar a produção”, informa o presidente do Sindicato Rural, Osório Straliotto. Ele explica que o impacto financeiro deste cenário de preço baixo varia de produção. “Depende do grau de tecnologia e da qualidade do insumo utilizado. Tem produtor que gasta o equivalente a 30, sacas por hectares, a aquele que gastam o dobro”.”.

O atual preço de mercado do milho (R$ 16,00 a saca de 60 quilos) é 29,79% menor que o praticado nesta mesma época do ano passado, quando o grão era comercializado a R$ 22,79. Na avaliação dos produtores este preço não cobre os custos de produção de quem colheu 62 sacas por saca e gastou em média de R$ 1.200,00.  Neste patamar de preço o faturamento bruto fica em R$ 992,00. Não é por acaso que há ainda tanto milho retido. 

Entre os produtores que ainda não venderam a safra (aproximadamente 40 mil sacas) está Antenor Carissini. Ele plantou 600 hectares (450 arrendados), reclama do preço que não cobre seu custo de produção (R$ 1.400,00) e se queixa da produtividade que caiu de 80 para 62 sacas por hectare. “Vou esperar que o milho chegue pelo menos a R$ 20,00”, aposta.

Em janeiro de 2012, o milho chegou a ser vendido a R$ 23,32. O produtor já se acostumou com esta oscilação de produtividade do milho safrinha. Em 2010, por exemplo, o senhor Antenor, obteve 98 sacas por hectare. No ano seguinte, a seca reduziu este desempenho em 65%, com a colheita de 35 sacas. O prejuízo foi compensado porque a cotação do milho chegou a R$ 25,00. Nos 90 dias o preço caiu 23%, despencando de R$ 21,00 de junho, para os R$ 16,00 atuais.

Sidrolândia atingiu uma produtividade média de 73 sacas por hectare, o município colheu 591.300 toneladas em 110 mil hectares cultivados. Ano passado, a produção foi de 426.176 toneladas. Já o Estado como um todo l encerrou a colheita da safrinha de milho do ciclo 2012/2013 com uma produção recorde, 7,8 milhões de toneladas, segundo relatório divulgado pelo Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio (SIGA), da Associação dos Produtores de Soja do estado (Aprosoja/MS).

De acordo com a Aprosoja/MS, o resultado final da colheita superou as expectativas da própria entidade que projetava uma produção de 6,9 milhões de toneladas. O presidente da instituição, Almir Dalpasquale, diz que esse resultado se deve as estratégias adotadas pelos agricultores.

“Com o plantio antecipado os agricultores do estado diminuíram o risco de que a geada afetasse a lavoura. Esse fator, somado às chuvas que favoreceram e a escolha de sementes de qualidade, fez o sucesso desta safra”, avalia Dalpasquale.

Números da safrinha

Conforme o relatório, a produtividade média da safrinha de milho no estado foi de 83 sacas por hectare. Campo Grande fechou a colheita com o título de maior produtividade média entre os municípios de Mato Grosso do Sul, com 92,3 sacas por hectare.

De acordo com o SIGA, os municípios de Maracaju e Dourados fecharam a safra como os maiores produtores do estado, com volume acumulado de 1,1 milhão de toneladas e 729,6 mil toneladas, respectivamente.

Ranking da produção milho safrinha

1)  Maracaju -  Produção de 1.022.500,00 toneladas (89 sacas por hectare)

2)  Ponta Por㠖 Produção de 648 mil toneladas (90 sacas por hectare)

3)  Dourados – Produção 633 mil toneladas (84,5 sacas por hectare)

4)  Sidrolândia – 591.300 toneladas (73 sacas por hectare).