Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 11 de Agosto de 2022

Sidrolandia

Promotor defende construção de ciclovia e parque linear no traçado dos trilhos

Jesus Ferreira, durante sua explanação, revelou que há um projeto cadastrado no Ministério da Integração Nacional, para obtenção de recursos federais no valor de R$ 500 mil.

Flávio Paes/Região News

04 de Outubro de 2015 - 23:42

O promotor Luciano Loubet, além de mostrar disposição de garantir a preservação do acervo ferroviário de Sidrolândia (como um bem tombado para o patrimônio histórico), se colocou contra a proposta de abertura de uma avenida no traçado dos trilhos, que serviria de alternativa viária para a Avenida Dorvalino dos Santos.

Na opinião do promotor, manifestada durante sua participação na audiência publica realizada na sexta-feira, o modelo adequado a ser seguido na cidade, é o projeto implementado em Campo Grande, onde boa parte do traçado dos trilhos na área central foi transformando num espaço de lazer e convivência (as orlas ferroviária e Morena).

“Temos duas nascentes nas duas extremidades do traçado, que precisam ser preservadas. Por que não transformar este espaço (da saída para Maracaju até os fundos da Tip Top), numa ciclovia, para garantir aos trabalhadores um acesso em segurança às fábricas e uma pista de caminhada?”.

Foto: Rafael Brites

http://regiaonews.com.br/uploads/2015100423072301.jpg

O representante da Prefeitura, Jesus Ferreira, durante sua explanação, revelou que há um projeto cadastrado no Ministério da Integração Nacional, para obtenção de recursos federais no valor de R$ 500 mil, que prevê a abertura de uma via que começaria ao lado da antiga estação, chegando até a Rua Marques Tamandaré, no São Bento. 

A dificuldade é que esta via poderia obrigar a demolição de algumas das casas da vila dos ferroviários, que precisa ser preservada porque integra o sitio ferroviário  tombado pelo patrimônio histórico. Outra alternativa em análise é o prolongamento da rua Pernambuco, num trecho de 200 metros, servindo de alternativa de acesso ao São Bento, alternativas a Rua João Marcio Ferreira Terra. 

A via atravessaria parte do chamado triângulo de reversão (área destinada à manobra de trens) que só poderão ser transferidas à Prefeitura, se a concessionária do ramal ferroviário, renunciar a estes cinco hectares que estão sob seu controle. Na avaliação do vereador Edno Ribas, é preciso criar alternativas de acesso ao São Bento que hoje concentra 19 mil habitantes, praticamente metade da população urbana de Sidrolândia. 

“Além da João Marcio, são vias de acesso ao bairro a Generoso Ponce (prolongamento da Avenida Aroeira) e a rua Napoleão Ferreira Ribeiro (continuidade da rua Nioaque)”. Esta região nos próximos três anos vai receber mais 6 mil moradores, computando 200 casas populares projetadas pela Prefeitura; um condomínio de 150 moradias; 1.400 terreno de um novo lançamento imobiliário, além do frigorífico que deve ampliar o fluxo de veículos, com caminhões trazendo boi para o abate e levando carne, além de empregar 700 funcionários.