Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Prorrogação dos incentivos fiscais garante competitividade das indústrias cerâmicas e de laticínios

O empresário e primeiro vice-presidente regional da Fiems, Luiz Cláudio Sabedotti Fornari, também destacou a importância dos incentivos

Notícias MS

19 de Agosto de 2013 - 16:50

Competitividade com outros mercados, geração de emprego e renda, crescimento da indústria sul-mato-grossense e desenvolvimento regional. Esses foram os pontos abordados por lideranças da indústria de laticínios e de cerâmica durante a assinatura dos termos aditivos que prorrogam por 15 anos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado às indústrias de Mato Grosso do Sul.

Os termos, que prorrogam a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço (ICMS), foram assinados pelo governador André Puccinelli e pelo presidente da Federação das indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Fiems), Sérgio Longen, na manhã desta segunda-feira (19), em Campo Grande.

Hernandes Ortiz, presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso do Sul (Silems), destacou que o maior benefício para a indústria no estado com a assinatura do termo é a possibilidade de expansão e crescimento das unidades fabris.

“Com a prorrogação dos incentivos, nossas empresas poderão se expandir e competir de igual para igual com outros mercados, como o goiano, que é um dos nossos maiores concorrentes. Sem este incentivo, seria humanamente impossível manter a atividade no estado”. Ainda segundo Ortiz, Mato Grosso do Sul possui cerca de 70 indústrias de laticínios que contam com 60% de desconto no ICMS para operações internas e 50% de abatimento nas operações interestaduais.

Responsável pela geração de mais de 5 mil empregos em todo o Mato Grosso do Sul, a indústria da cerâmica também será beneficiada com a prorrogação dos incentivos, em até 83% na produção de pisos e 60% na fabricação de blocos e telhas. Segundo Natel Moraes, presidente do Sindicato da Indústria Cerâmica do Mato Grosso do Sul (Sindicer), o consumo tem crescido muito na região nordeste de Mato Grosso do Sul, que faz divisa com o estado de São Paulo.

“Se não fosse efetivada essa prorrogação, além de inviabilizar a atividade no estado, perderíamos todo o mercado para São Paulo, que é nosso maior concorrente produtor. Com essa convalidação, o empresário tem segurança em manter os investimentos no setor, gerando empregos”, disse. Segundo o Sindicato, Mato Grosso do Sul conta com cerca de 195 indústrias no setor cerâmico.

O empresário e primeiro vice-presidente regional da Fiems, Luiz Cláudio Sabedotti Fornari, também destacou a importância dos incentivos para que a Indústria do estado possa competir em igualdade com São Paulo, o estado mais industrializado do País. “Esta política do governador André Puccinelli é vida, coloca nosso Estado em um bom nível de concorrência e desburocratiza o setor”, finalizou.