Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 20 de Julho de 2024

Sidrolandia

PSD: «Este é um Governo ausente, esgotado e desorientado»

Miguel Macedo diz que sociais-democratas são a alternativa ao país e estão preparados para assumir o poder

Tvi 24

15 de Julho de 2010 - 15:00

O PSD apresenta-se como alternativa, fala muito de eleições, mas não em antecipá-las. No seu discurso no debate do «Estado da Nação», o líder da bancada parlamentar do PSD ataca o Governo, concretamente os minutos (pela falta de trabalho apresentado) e resume: «Este é um Governo ausente, esgotado e desorientado».

Para Miguel Macedo vive-se uma espécie de fim de ciclo, em que o PSD terá um papel importante: «O país precisa de mudar de rumo, (¿) de uma nova alternativa», que poderá ser protagonizada pelos sociais-democratas.

«Queremos ¿ lado a lado com os portugueses ¿ liderar uma alternativa de confiança e de esperança num futuro melhor. Portugal precisa de uma nova esperança. E, para isso, Portugal pode contar com o PSD».

Antes disso, os ataques foram concretos e resumidos numa ideia: «Os portugueses já perceberam que os governos do Partido Socialista gostam de andar em campanha eleitoral, mas são incapazes de governar bem o país»

Falando no «exército de 600 mil desempregados», Macedo considerou que o Governo está a «matar o Estado Social», naquilo que considera ser «um Governo ausente, esgotado e desorientado», «com excepção do primeiro-ministro e de dois ou três ministros», passando a nomear os casos da Justiça, Economia, do Ambiente ou do Emprego.

«Tem ministros a mais, tem assessores a mais, tem mordomias a mais. Mas política a menos, iniciativa a menos e acção a menos», resumiu, considerando que a face do governo «esgotado» surge na intervenção das ministras da Educação e da Saúde, para além do ministro das Finanças.

Também é responsabilidade do PSD

Após o discurso de Miguel Macedo, só o Bloco de Esquerda decidiu fazer perguntas. Ana Drago considerou que «o estado nação também é da responsabilidade do PSD», porque «há um acordo entre Passos Coelho e o Governo», restando saber por que é que não pediram um lugar no Governo?»

Miguel Macedo respondeu dizendo que a intervenção «teve piada», mas «não teve a ver com a realidade», porque o «o PSD não é Governo».