Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

Quadrigêmeas devem ficar em UTI nos próximos dois meses em MS

Não há um prazo definido para que as quadrigêmeas recebam alta. Segundo os médicos, elas precisam destes cuidados intensivos por pelo menos dois meses

G1 MS

03 de Setembro de 2014 - 17:00

As quadrigêmeas indígenas recém-nascidas devem continuar internadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Neonotal em Campo Grande nos próximos dois meses para ganhar peso.

Elas nasceram no dia 28 de agosto e a mãe, a terena Denir Campos, 37 anos, descobriu apenas durante o parto normal que se tratava de quadrigêmeas, porque o ultrassom feito durante o pré-natal, em Anastácio, apontava para apenas dois bebês.

Uma das meninas, que está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hospital Regional, passa por fisioterapia respiratória e por um banho de luz para tratar icterícia, que atinge principalmente os prematuros, deixando a cor da pele amarela devido ao excesso de pigmento produzido pelo sangue. O mesmo ocorre com duas das três irmãs internadas na Maternidade Cândido Mariano. O estado de saúde das bebês é considerado estável.

Segundo a médica Cláudia Claudia Rosseti, o tratamento das meninas está evoluindo bem.

"Já começamos a dieta para elas, pela sondinha, tem também a nutrição pela veia, para dar o suporte nutricional necessário. Estão tomando também antibióticos, mas estão respondendo muito bem", explicou.

Não há um prazo definido para que as quadrigêmeas recebam alta. Segundo os médicos, elas precisam destes cuidados intensivos por pelo menos dois meses. Neste período, o objetivo é que elas dobrem o peso. Hoje, as meninas pesam entre 800 gramas e 1,170 quilo.

Nova rotina
Enquanto as bebês permanecem internadas, os pais precisam se adaptar à nova rotina para acompanhar as recém-nascidas e as outras quatro filhas que estão em Anastácio, a 128 km de Campo Grande. Denir e Odair, que já tinham quatro meninas, de 4, 7, 10 e 12 anos, moram em um barraco às margens da BR-262, de dois cômodos.

Apesar do espaço pequeno, a família afirma que não falta amor para cuidar da família que cresceu inesperadamente. "Para a gente que é mãe, nada é difícil para batalhar pelos filhos”, disse Denir.

A notícia da chegada das quadrigêmeas despertou a solidariedade de muita gente e a família já recebeu várias doações. Além das doações de fraldas e roupas, as meninas também precisam de leite. As mães que quiserem ajudar, podem procurar o banco de leite da Maternidade Cândido Mariano, que fica na rua Cândido Mariano, ou no Hospital Regional, no bairro Aero Rancho.

Ajuda
A família das quadrigêmeas Elizabete, Eliza, Elizângela e Elizete precisa de doações para as recém-nascidas, já que prepararam enxoval para gestação de gêmeas.

Por isso, uma campanha para recebimento de doações foi criada na segunda-feira (1º), pela maternidade Cândido Mariano.

A maternidade informa que podem ser doadas fraldas, principalmente do tamanho RN (recém-nascido), e também P, M, e G. Roupas para meninas também serão aceitas. As doações podem ser feitas diretamente na maternidade, localizada na rua Marechal Rondon, 2.644, Centro de Campo Grande.

Doações também podem ser feitas através de depósitos em dinheiro na conta poupança aberta por Odair. O número da agência é 4555 e da conta poupança é 0001958-6, na Caixa Econômica Federal, variação 13.