Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 24 de Maio de 2022

Sidrolandia

Reinaldo diz que "não está fácil" garantir 13º de servidos em parcela única

A afirmação vem entre explicações do tucano para explicar ajuste fiscal, com aumento de impostos em alguns setores.

Correio do Estado

06 de Novembro de 2015 - 08:40

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), disse nesta sexta-feira (6) que “não está fácil” fechar as contas para “pagar de uma vez” o 13º salário de servidores estaduais. A afirmação vem entre explicações do tucano para explicar ajuste fiscal, com aumento de impostos em alguns setores.

 “Ainda vamos tentar reduzir ao máximo (os gastos) para garantir o 13º, o que não está fácil. Estamos tentando um fechamento para pagar de uma vez”, falou Reinaldo ao comentar medidas econômicas. Segundo o governador, o Estado fez o “dever de casa” em relação à redução de despesas, mas, mesmo assim, vive a expectativa de deficit para 2016.

“Ninguém é a favor do aumento de carga tributária, é compreensível, mas nós não contraímos dívida, nem fizemos empréstimo. Agora, existe um problema, o Estado desde janeiro teve um aumento brutal de despesas e não fomos nós que contraímos isso, ao contrário, diminuímos as despesas, nosso custeio deve ser menor ou igual do de 2014”, analisou Reinaldo.

Por fim, Reinaldo reiterou que boa parte da responsabilidade sobre a atual situação financeira do Estado cabe ao antecessor, André Puccinelli (PMDB). “Pegamos o governo com aumento de mais de R$ 30 milhões mensais na folha de pagamentos, aumento no de R$ 10 milhões nos repasses aos poderes, e ainda teve uma dívida com o BNDES, firmada na gestão passada, mas que ficou para começar a ser paga este ano, que representa R$ 20 milhões”.

Em relação ao ajuste fiscal, Reinaldo comentou que uma das alternativas seria aumentar em 1% a tributação sobre todos os produtos. No entanto, optou-se por ampliar as alíquotas apenas dos produtos considerados supérfluos.