Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Ressentido com derrota na Mesa, Daltro não prestigia Câmara em inauguração

O presidente da Câmara defendeu a unidade de todas as lideranças políticas em favor dos interesses do município

Marcos Tomé/Região News

09 de Fevereiro de 2011 - 07:43

Ressentido com  derrota na Mesa, Daltro não prestigia Câmara em inauguração
Ainda ressentido com derrota na Mesa, Daltro n - Foto: Marcos Tom

O grupo político vinculado ao prefeito Daltro Fiuza (ou o que restou dele) ainda não absorveu a derrota na eleição da mesa diretora da Câmara Municipal, quando a vereadora Roberta Stefanello perdeu a presidência para o petista Jean Nazareth, que atraiu o apoio do PDT e do PSDB.

Este comportamento ressentido ficou evidente ontem durante a visita do governador André Puccinelli a Sidrolândia na inauguração do novo prédio da Escola Sidrônio Antunes de Andrade.  Daltro e os quatro vereadores que ainda se mantém fiéis a sua orientação política, procuraram monopolizar as atenções do governador.  Primeiro, ao não permitirem a presença dos  demais vereadores na reunião de  uma hora que tiveram  com André, quando o tom foi de queixas com  a nomeação  e possível apoio de André a candidatura a prefeito de Enelvo Felini.

Depois vetaram a fala de um representante do legislativo na cerimônia de inauguração, embora a Câmara, além de ter contribuído com gestões cobrando a obra ao longo dos últimos anos, aprovou o projeto que autorizou a prefeitura doar ao Estado o terreno onde foi construída o novo prédio.  

Esta demonstração de intolerância política  – acentuada com a nomeação na segunda-feira do arqui-rival político de Daltro, Enelvo Fellini, para um cargo junto à Secretaria de Governo  -  mereceu críticas do presidente da Câmara, Jean Nazareth (PT), para quem “não se constrói nada em favor de Sidrolândia, alimentando picuinhas”.

“O veto a presença de um vereador entre os oradores da inauguração,  foi um gesto do prefeito  de afronta  e desrespeito ao  Legislativo, ignorando que ao longo dos últimos anos, todos que por aqui passaram deram sua contribuição para que este sonho antigo da sociedade, sidrolandense, o novo Sidrônio, saísse do papel. Incluindo o professor Tadeu, que construiu boa parte da sua história no magistério dentro da escola , onde por muitos anos foi diretor”, comentou Jean.

O presidente da Câmara defendeu a unidade de todas as lideranças políticas em favor dos interesses da cidade que tem sofrido duramente os efeitos da radicalização do embate político interno. “Nossas diferenças partidárias, ideológicas, devem ficar limitadas ao período eleitoral. O episódio da eleição da Mesa já está superado. Deixemos para 2012 o embate eleitoral. O momento é de pacificação”, reforça Jean.  “A cidade se ressente de uma maior representativa política na Capital”, admite.

Ele elogiou a iniciativa do prefeito de se empenhar junto ao governador André Puccinelli pela instalação de uma guarnição do corpo de Bombeiros, porém, ressaltou que tal solicitação é uma reivindicação pleiteada por todos os vereadores que aprovaram inúmeros requerimentos e indicações na tentativa de tornar realidade tal beneficio a população.

“A prioridade ficou evidente depois do incêndio que destruiu o maior estabelecimento comercial de Sidrolândia. A Câmara está disposta a somar forças com todos os segmentos políticos e sociais  para pleitear do Governo o reforço na estrutura de segurança. Ainda não foi nomeado o novo comandante da Polícia Militar que conta com um número vergonhoso de efetivos. A Polícia Civil só conta com um delegado, Drª Gabriela Stainle que por sinal esta fazendo um bom trabalho, más, é preciso viabilizar uma delegacia da mulher para dar melhor atendimento a população”,  finalizou Jean.